Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Político europeu: OTAN usa Rússia para justificar sua própria existência

A suposta ameaça por parte da Rússia, tão ativamente comentada pela OTAN, existe apenas em palavras, para justificar a existência da aliança, declarou o deputado europeu pela República Tcheca Miloslav Ransdorf.


Sputnik

"A OTAN busca pretextos para justificar a própria existência" – disse o político.


Bandeira da OTAN é queimada durante protestos na Rússia
© AFP 2015/ MAXIM AVDEYEV

Ele lembrou que, nas palavras do primeiro Secretário-Geral da OTAN, lorde Ismay, o objetivo da aliança é de "manter os russos fora da Europa, os americanos na Europa e o alemães sob o controla da Europa". Na opinião de Ransdorf, atualmente o bloco não está conseguindo dar conta desta missão.

"Os EAU nunca deixaram a Europa, a Alemanha está longe de estar sob controle e a OTAN só consegue dar conta de um único objetivo: criar relações de tensão com a Rússia" – acreditado o eurodeputado tcheco.

Ransdorf também comentou a questão da criação de novas bases da OTAN na Europa Ocidental, que deverá ser uma das pautas centrais na próxima reunião de cúpula do bloco, em Bucareste.

"Não acredito que a reunião de cúpula provocará uma explosão de entusiasmo, apesar de que haverá uma declaração fazendo apelo para a criação de novas bases na região" – acredita o político.

Diante de certas divergências com a Rússia os países da OTAN declararam uma série de medidas para ampliar a a atividade militar da aliança da Europa, incluindo o fortalecimento das forças de reação rápida, aumento do contingente das tropas dos EUA no continente, brusca ampliação dos programas de exercícios e patrulhamento, bem como aumento dos gastos de defesa.

A Rússia declarou tratar-se de uma ampliação sem precedentes das atividades da OTAN junto às suas fronteiras.



Postar um comentário