Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Poroshenko: Rússia pode atacar países bálticos

O presidente da Ucrânia afirmou ser possível que a Rússia ataque os países bálticos, a Finlândia e os países do Mar Morto, alegando que a Ucrânia não está lutando numa guerra civil, mas por "democracia, liberdade e segurança para a Europa."


Sputnik

Em uma entrevista ao jornal austríaco Kurier, o presidente ucraniano Pyotr Poroshenko disse ser possível que o presidente russo Vladimir Putin ataque a Finlândia e os países bálticos, assim como os países ao redor do Mar Negro.

Ukrainian President Petro Poroshenko gestures as he speaks to lawmakers during a parliament session in Kiev, Ukraine
Piotr Poroshenko © AP Photo/ Efrem Lukatsky

"É possível que ele (Putin) ataque a Finlândia? Sim. Que ele ataque os países bálticos? Sim. Os países do Mar Morto? Sim", disse Poroshenko na entrevista.

Poroshenko fez o comentário após afirmar que "nove mil soldados russos" estão presentes em território ucraniano. No sábado, um dia antes da entrevista de Poroshenko, o ministro de Relações Exteriores da Estônia, Marina Kaljurand, declarou que a Rússia não representa uma ameaça militar a seu país.

Kaljurand deu sua declaração em resposta a um relatório sueco que alega que a Rússia pode atacar os países bálticos.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas