Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Reembolso francês à Rússia por quebra de contrato pelos Mistral foi de € 900 milhões

A França devolveu todo o dinheiro pago pela Rússia referente aos porta-helicópteros Mistral, segundo informou à RIA Novosti um funcionário do alto escalão do Serviço Federal para Cooperação Técnico-Militar russo nesta quinta-feira (27), em Zhukovsky, onde acontece o Salão Aeroespacial Internacional de Moscou (MAKS) 2015.


Sputnik

“A França voltou para a Rússia toda a quantia, cerca de € 900 milhões. A Rússia havia pago diretamente € 800 milhões pelos navios Mistral até o momento da rescisão contratual”, afirmou a fonte.


Porta-helicópteros Vladivostok, da classe Mistral
© AFP 2015/ FRANK PERRY

A informação é semelhante à transmitida pelo porta-voz do governo francês, Stephan Le Foll, que, na quarta-feira (28), havia dito que o montante da remuneração paga à Rússia para rescindir o contrato para o fornecimento de dois porta-helicópteros da classe Mistral pela França não excedeu € 1 bilhões de euros.

A Rússia ainda precisa permitir que a França exporte os dois porta-helicópteros para países terceiros, de acordo com a fonte.

“Apesar da França transferir todos os fundos por não entregar os Mistral, cerca de 900 milhões de Euros, Paris ainda não tem autorização por parte da Rússia de voltar a exportar esses navios”, disse a fonte.

Nos termos do contrato de € 1,2 bilhão assinado em 2011, a França concordou em vender dois porta-helicópteros da classe Mistral à Rússia. Em Novembro de 2014, Paris suspendeu a entrega como uma medida punitiva em resposta à alegada intromissão russa na crise ucraniana. Moscou repetidamente nega estas acusações.

Russos e franceses rescindiram o contrato para a entrega dos Mistral no dia 5 de agosto. A França prometeu reembolsar a Rússia a totalidade da soma paga pelos navios, enquanto o ministro da Defesa francês, Jean-Yves Le Drian, disse mais tarde que a restituição seria equivalente a menos do que o preço original.

Postar um comentário