Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Rússia e Egito aspiram a formar coalizão com Síria contra Estado Islâmico

A Rússia e o Egito apoiam a ideia de criar uma vasta coalizão antiterrorista que incluía a Síria para lutar contra o Estado Islâmico, disse o presidente russo Vladimir Putin durante a entrevista coletiva juntamente com o seu homólogo egípcio Abdel Fattah al-Sisi.


Sputnik

"Frisamos a importância fundamental de formar uma vasta frente antiterrorista que incluiría os principais atores internacionais e potências regionais incluindo a Síria", disse Putin na quarta-feira.


Vladimir Putin e Abdel Fattah al-Sisi
© AP Photo/ Mikhail Klementyev

"Temos uma visão comum da necessidade de intensificar a luta contra o terrorismo internacional que é muito relevante tendo em conta as ambições agressivas das estruturas radicais e o Estado Islâmico em particular", disse o presidente russo.

"Quando realizamos os nossos encontros, o povo egípcio está à espera do melhoramento na cooperação entre o Egito e a Rússia em várias áreas incluindo economia, e da luta contra terrorismo na região que é prejudicada pelo terrorismo", disse o presidente egípcio durante a conferência de imprensa.

"Isso afeta a nossa estabilidade e segurança regionais. Não só em alguns países mas em toda a região e possivelmente em todo o mundo", frisou.

Durante a visita do presidente egípcio a Moscou os chefes dos dois países discutiram um leque de assuntos, inclusive a situação no Oriente Médio e na África do Norte e a cooperação econômica.

Durante o seu terceiro encontro no ano em curso, o presidente Putin reiterou a sua promessa de incluir o Egito na zona de comércio livre da União Econômica Euroasiática (UEE) liderada pela Rússia. Reiterou que os dois países tencionaram excluir o dólar americano e fazer o comércio bilateral em moedas nacionais.

"Concordamos estimular esforços para diminuir a influência dos fatores externos e fazer que o comércio bilateral aumente de forma sustentável. A realizável criação de zona de comércio livre entre a UEE e o Egito, moedas nacionais nas contas bilaterais, promoção da cooperação na esfera dos investimentos são uns dos passos específicos para incentivar a economia," disse Putin.

Putin acrescentou que o Egito tem a oportunidade de exportar produtos alimentícios à Rússia desde o momento em que Moscou introduziu as sanções contra alguns países em relação aos produtos alimentícios no ano passado. Os fornecimentos do Egito à Rússia aumentaram significativamente na primeira metade de 2015, disse.


Também anunciou os planos de aumentar exportações dos cereais ao Egito. Os planos russos de participar no desenvolvimento da infraestrutura egípcia de cereais também foram discutidos na reunião dos chefes dos dois países.

As exportações russas dos cereais ao Egito eram equivalentes a 4 milhões de toneladas em 2014 que é 40% de toda a procura do Egito, afirmou Putin. Em 2014 o comércio bilateral aumentou a 86% comparando com 2013 atingindo 5,5 bilhões de dólares.

Os dois líderes também discutiram a construção conjunta da usina nuclear no Egito usando tecnologias russas, disse Putin.

"Um dos projetos bilaterais mais importantes é a construção da usina nuclear no Egito usando tecnologias russas. Os peritos dos dois países estão a completar o trabalho sobre os aspetos da construção da usina", disse Putin.

Em fevereiro Putin e Sisi assinaram alguns acordos segundo os quais a Rússia se obrigou prestar apoio ao Egito na construção de uma nova usina nuclear.
Na quarta-feira Putin fez alusões de que a Rússia pode fornecer o Egito com os aviões Sukhoi Superjet 100.

"O assunto de fornecimentos dos aviões Sukhoi Superjet 100 para as linhas aéreas do Egito está no processo de elaboração", Putin afirmou.

Há de notar que os EUA não consideram possível a participação do presidente sírio na coalizão contra terrorismo internacional. Em 24 de agosto os EUA e a Turquia afirmaram que vão realizar uma operação militar contra o Estado Islâmico. Segundo o ministro das Relações Exteriores da Turquia Mevlut Cavusoglu, os países regionais como a Arábia Saudita, o Catar e a Jordânia e os aliados europeus como o Reino Unido e a França também vão participar da operação.

Postar um comentário