Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Rússia irá substituir Mistral por seu próprio porta-aviões nuclear

A Rússia está desenvolvendo o seu próprio novo porta-aviões, que vai ser equipado com uma unidade de energia nuclear, para substituir os Mistrais franceses, informou o secretário de imprensa da Empresa de Construção Naval russa.


Sputnik

O projeto, em fase de desenvolvimento, é superior ao francês Mistral em suas caraterísticas técnicas, segundo relatou a International Business Times. 


Modelo de um Mistral
© Sputnik/ Alexander Vilf

A Rússia está desenvolvendo o seu próprio novo porta-aviões, que vai ser equipado com uma unidade de energia nuclear, para substituir os Mistrais franceses, informou o secretário de imprensa da Empresa de Construção Naval russa. Antes da quebra do contrato com a França, o Kremlin anunciou, em maio, planos de construção dos seus próprios navios militares, que superam os da classe Mistral.

De acordo com o secretário de imprensa da Empresa de Construção Naval russa, o projeto do futuro porta-aviões russo está em fase de elaboração e construção. Ele ressaltou que, de acordo com um estudo realizado pela empresa de engenharia Nevskoe (Nevskoe Proektno Konstruktorskoe Biuro, PKB), para assegurar as exigências impostas pela Marinha russa, o navio deve ser equipado com uma unidade nuclear.

O diretor-geral da PKB, Sergey Vlasov, acredita que o projeto do porta-aviões pode ser realizado de duas maneiras. A primeira opção prevê a instalação de uma unidade de energia nuclear, que permitirá ao navio, com um deslocamento de 80 000 — 85 000 toneladas, receber a bordo 70 aeronaves. Sem a instalação de uma unidade de energia nuclear o porta-aviões terá um deslocamento de 55 000 — 65 000 toneladas e poderá transportar cerca de 55 aeronaves a bordo.

Os testes da unidade nuclear para o futuro porta-aviões deverão ser realizados com o contratorpedeiro Líder. A construção de novos navios militares poderá estar concluída antes de 2030.


Postar um comentário