Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Rússia irá substituir Mistral por seu próprio porta-aviões nuclear

A Rússia está desenvolvendo o seu próprio novo porta-aviões, que vai ser equipado com uma unidade de energia nuclear, para substituir os Mistrais franceses, informou o secretário de imprensa da Empresa de Construção Naval russa.


Sputnik

O projeto, em fase de desenvolvimento, é superior ao francês Mistral em suas caraterísticas técnicas, segundo relatou a International Business Times. 


Modelo de um Mistral
© Sputnik/ Alexander Vilf

A Rússia está desenvolvendo o seu próprio novo porta-aviões, que vai ser equipado com uma unidade de energia nuclear, para substituir os Mistrais franceses, informou o secretário de imprensa da Empresa de Construção Naval russa. Antes da quebra do contrato com a França, o Kremlin anunciou, em maio, planos de construção dos seus próprios navios militares, que superam os da classe Mistral.

De acordo com o secretário de imprensa da Empresa de Construção Naval russa, o projeto do futuro porta-aviões russo está em fase de elaboração e construção. Ele ressaltou que, de acordo com um estudo realizado pela empresa de engenharia Nevskoe (Nevskoe Proektno Konstruktorskoe Biuro, PKB), para assegurar as exigências impostas pela Marinha russa, o navio deve ser equipado com uma unidade nuclear.

O diretor-geral da PKB, Sergey Vlasov, acredita que o projeto do porta-aviões pode ser realizado de duas maneiras. A primeira opção prevê a instalação de uma unidade de energia nuclear, que permitirá ao navio, com um deslocamento de 80 000 — 85 000 toneladas, receber a bordo 70 aeronaves. Sem a instalação de uma unidade de energia nuclear o porta-aviões terá um deslocamento de 55 000 — 65 000 toneladas e poderá transportar cerca de 55 aeronaves a bordo.

Os testes da unidade nuclear para o futuro porta-aviões deverão ser realizados com o contratorpedeiro Líder. A construção de novos navios militares poderá estar concluída antes de 2030.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas