Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Rússia irá substituir Mistral por seu próprio porta-aviões nuclear

A Rússia está desenvolvendo o seu próprio novo porta-aviões, que vai ser equipado com uma unidade de energia nuclear, para substituir os Mistrais franceses, informou o secretário de imprensa da Empresa de Construção Naval russa.


Sputnik

O projeto, em fase de desenvolvimento, é superior ao francês Mistral em suas caraterísticas técnicas, segundo relatou a International Business Times. 


Modelo de um Mistral
© Sputnik/ Alexander Vilf

A Rússia está desenvolvendo o seu próprio novo porta-aviões, que vai ser equipado com uma unidade de energia nuclear, para substituir os Mistrais franceses, informou o secretário de imprensa da Empresa de Construção Naval russa. Antes da quebra do contrato com a França, o Kremlin anunciou, em maio, planos de construção dos seus próprios navios militares, que superam os da classe Mistral.

De acordo com o secretário de imprensa da Empresa de Construção Naval russa, o projeto do futuro porta-aviões russo está em fase de elaboração e construção. Ele ressaltou que, de acordo com um estudo realizado pela empresa de engenharia Nevskoe (Nevskoe Proektno Konstruktorskoe Biuro, PKB), para assegurar as exigências impostas pela Marinha russa, o navio deve ser equipado com uma unidade nuclear.

O diretor-geral da PKB, Sergey Vlasov, acredita que o projeto do porta-aviões pode ser realizado de duas maneiras. A primeira opção prevê a instalação de uma unidade de energia nuclear, que permitirá ao navio, com um deslocamento de 80 000 — 85 000 toneladas, receber a bordo 70 aeronaves. Sem a instalação de uma unidade de energia nuclear o porta-aviões terá um deslocamento de 55 000 — 65 000 toneladas e poderá transportar cerca de 55 aeronaves a bordo.

Os testes da unidade nuclear para o futuro porta-aviões deverão ser realizados com o contratorpedeiro Líder. A construção de novos navios militares poderá estar concluída antes de 2030.


Postar um comentário