Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

TOA - MPF quer que Exército consulte indígenas antes de instalar microcentral hidrelétrica no Tumucumaque

Comunidades indígenas têm direito à consulta prévia, livre e informada sempre que empreendimentos afetem seu território
MPF | DefesaNet

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça que determine à União, na figura do Exército Brasileiro, não instalar microcentral hidrelétrica na terra indígena do Parque do Tumucumaque (AP), até que sejam atendidos todos os requisitos constitucionais para a exploração de recursos hídricos em terra indígena. Além disso, há também a necessidade de avaliação dos impactos socioambientais do empreendimento, bem como a consulta livre, prévia e informada aos indígenas. A ação foi protocolada em 11 de outubro.

A microcentral tem o objetivo de fornecer energia elétrica para propiciar autonomia ao pelotão, composto por 45 militares, localizado na faixa de fronteira entre Brasil e Suriname, no parque do Tumucumaque. Atualmente, os militares contam apenas com oito horas diárias de energia elétrica, dependendo integralmente de geradores a diesel, óleo cujo trans…

Rússia planeja substituir todas peças importadas de equipamentos militares até 2022

Até 2022, a Rússia terá substituído todas peças estrangeiras de equipamentos produzidos domesticamente para o setor de Defesa. A afirmação, dada nesta terça-feira, é do vice-primeiro-ministro, Dmitry Rogozin.


Sputnik

"Quanto aos componentes produzidos em países da União Europeia e da OTAN, eles serão completamente substituídos até 2022, 90% serão trocados já em 2018" disse Rogozin aos jornalistas durante uma viagem de trabalho a Krasnodar.


Russian Deputy Prime Minister Dmitry Rogozin
Dimitri Rogozin © Sputnik/ Sergei Mamontov

"Todas peças ucranianas serão substituídas, no mais tardar, até 2018", enfatizou Rogozin, que supervisiona a indústria espacial e de defesa.

Segundo o vice-primeiro-ministro, a lista de peças a serem trocadas inclui 186 produtos da Ucrânia e cerca de 800 componentes vindo de países da UE e da OTAN.

As relações de Moscou com Kiev e o Ocidente deterioraram-se bastante durante a crise ucraniana, iniciada em 2014. Desde então, a OTAN vem aumentando sua presença militar no leste europeu.

Em maio, a Ucrânia adotou uma nova estratégia de segurança nacional. De acordo com o secretário do Conselho de Segurança Russo, Nikolai Patrushev, o documento classifica a Rússia como a ameaça mais proeminente à segurança do país.

A tensão nas relações com o Ocidente resultou na adoção de um programa de substituição de importados por parte da Rússia — particularmente, nos setores espacial e de defesa.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas