Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Venezuela comprará tecnologia russa para tropas de engenharia

Delegação do país acompanhou prova dos Jogos Internacionais do Exército para observar recursos em uso. Segundo militar venezuelano, equipamento russo é “o melhor e mais confiável do mundo”.


RIA NÓVOSTI

Ao longo dos próximos seis meses, a Venezuela comprará tecnologia russa para as suas tropas de engenharia, anunciou o major-general Acosta Prieto, das Forças Armadas venezuelanas.


Prova acompanhada por delegação venezuelana aconteceu durante os Jogos Internacionais do Exército Foto:Aleksandr Volojanin/RIA Nóvosti

“Viemos para a Rússia observar a tecnologia para tropas de engenharia que iremos adquirir nos próximos seis meses”, disse o major-general durante a competição de tropas de engenharia “Rota Segura”, que aconteceu na região de Nijni Novgorod, no último dia 12.

A competição fazia parte dos Jogos Internacionais do Exército, que reuniram 17 países, sobretudo ex-repúblicas soviéticas, e foram encerrados no sábado passado (15).

Em processo de modernização, o Exército venezuelano selecionou o equipamento russo, segundo o militar, por ser “o melhor e mais confiável do mundo”.

“Esperamos que, assim que a tecnologia seja obtida, a Venezuela consiga trazer a sua equipe para participar dos jogos militares internacionais”, acrescentou.

Prieto reforçou a proximidade entre Venezuela e Rússia, sobretudo na esfera militar. “Nós já compramos muito armamento russo, e gostamos de vir a esses eventos que fortalecem ainda mais a nossa cooperação”, disse.



Postar um comentário