Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Bulgária fechou seu espaço aéreo para aviões russos

A Bulgária se recusou a autorizar voos para o transporte de ajuda humanitária através do seu espaço aéreo, informou a Reuters na terça-feira citando a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores búlgaro.


Sputnik

"O Ministério das Relações Exteriores búlgaro recusou à Rússia autorização para voos de aeronaves militares russas com ajuda humanitária através do seu território para a Síria", disse a porta-voz à Reuters acrescentando que a decisão foi tomada nos últimos dias.


Avião do Ministério de Emergência russo
© Sputnik/ Iliya Pitalev

Segundo o jornal grego Kathimerini, a decisão búlgara foi um alívio para o governo grego que está sob a pressão de Washington. Agora o assunto de permitir à Rússia realizar voos através seu espaço aéreo já não é relevante.

A Rússia entregará a ajuda humanitária à Síria através do Irã, informa o jornal.

O porta-voz do Ministério de Defesa da Bulgária, Daniel Stefanov, confirmou que o país fechou o seu espaço aéreo para aeronaves russas que transportem cargas humanitárias para a Síria. "Sim, podemos confirmar que a Bulgária fechou o seu espaço aéreo para aviões militares russos que se dirigem para a Síria", disse Daniel Stefanov à Sputnik.

No comunicado do ministério diz-se que a Bulgária proibiu a entrada das aeronaves militares no seu espaço aéreo até 24 de setembro.

Segundo o comunicado, "a razão de fechar o espaço aéreo está relacionada com as informações incorretas nos pedidos russos sobre o objetivo dos voos e tipo de cargas".

No sábado, a embaixada norte-americana apelou a Atenas para que proibisse os voos de aeronaves russas, mas a Grécia se recusou de fazer isso, disse uma fonte à RIA Novosti.

Vladimir Dzhabarov, vice-presidente do Comitê dos assuntos internacionais do Conselho da Federação, câmara alta do parlamento russo, disse na segunda-feira que a Rússia pode realizar voos para a Síria usando outros percursos. O senador indicou o Irã, a Turquia e os países da Ásia Central, que podem assistir à Rússia na concretização da sua missão humanitária na Síria.

Em sua entrevista à radioemissora "Govorit Moskva" o senador afirmou: "A atitude [da Bulgária] é absolutamente hostil. Está claro que fizeram isso para agradar aos EUA. Segundo as informações que tenho, os EUA nem lhes pediram, é a sua iniciativa. Infelizmente, o povo amigável, com quem partilhamos a herança conjunta da religião cristã ortodoxa, deu um passo pouco humano. Trata-se de fornecimentos de ajuda humanitária e não de equipamento militar ou tropas".

Contexto histórico

Há que dizer que os povos da Rússia e Bulgária têm uma história comum. Os dois povos eslavos têm línguas similares. No fim do século XIX, a Rússia participou na guerra contra o Império Otomano, que discriminava a população búlgara. Isso foi o primeiro passo primeiramente para a autonomia e depois para a independência da Bulgária. Apesar disso, no século XX a Bulgária participou na Primeira e Segunda Guerras Mundiais como adversário da Rússia.

No início do século XXI a Bulgária aderiu aos dois blocos ocidentais. Em 2004 a Bulgária se tornou membro da OTAN, e em 2007, da União Europeia. No fim de 2014 a Rússia teve de desistir da construção do gasoduto South Stream [Corrente do Sul] que se estendia pelo fundo do mar Negro por causa da posição não construtiva da Bulgária.


Postar um comentário