Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Bulgária fechou seu espaço aéreo para aviões russos

A Bulgária se recusou a autorizar voos para o transporte de ajuda humanitária através do seu espaço aéreo, informou a Reuters na terça-feira citando a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores búlgaro.


Sputnik

"O Ministério das Relações Exteriores búlgaro recusou à Rússia autorização para voos de aeronaves militares russas com ajuda humanitária através do seu território para a Síria", disse a porta-voz à Reuters acrescentando que a decisão foi tomada nos últimos dias.


Avião do Ministério de Emergência russo
© Sputnik/ Iliya Pitalev

Segundo o jornal grego Kathimerini, a decisão búlgara foi um alívio para o governo grego que está sob a pressão de Washington. Agora o assunto de permitir à Rússia realizar voos através seu espaço aéreo já não é relevante.

A Rússia entregará a ajuda humanitária à Síria através do Irã, informa o jornal.

O porta-voz do Ministério de Defesa da Bulgária, Daniel Stefanov, confirmou que o país fechou o seu espaço aéreo para aeronaves russas que transportem cargas humanitárias para a Síria. "Sim, podemos confirmar que a Bulgária fechou o seu espaço aéreo para aviões militares russos que se dirigem para a Síria", disse Daniel Stefanov à Sputnik.

No comunicado do ministério diz-se que a Bulgária proibiu a entrada das aeronaves militares no seu espaço aéreo até 24 de setembro.

Segundo o comunicado, "a razão de fechar o espaço aéreo está relacionada com as informações incorretas nos pedidos russos sobre o objetivo dos voos e tipo de cargas".

No sábado, a embaixada norte-americana apelou a Atenas para que proibisse os voos de aeronaves russas, mas a Grécia se recusou de fazer isso, disse uma fonte à RIA Novosti.

Vladimir Dzhabarov, vice-presidente do Comitê dos assuntos internacionais do Conselho da Federação, câmara alta do parlamento russo, disse na segunda-feira que a Rússia pode realizar voos para a Síria usando outros percursos. O senador indicou o Irã, a Turquia e os países da Ásia Central, que podem assistir à Rússia na concretização da sua missão humanitária na Síria.

Em sua entrevista à radioemissora "Govorit Moskva" o senador afirmou: "A atitude [da Bulgária] é absolutamente hostil. Está claro que fizeram isso para agradar aos EUA. Segundo as informações que tenho, os EUA nem lhes pediram, é a sua iniciativa. Infelizmente, o povo amigável, com quem partilhamos a herança conjunta da religião cristã ortodoxa, deu um passo pouco humano. Trata-se de fornecimentos de ajuda humanitária e não de equipamento militar ou tropas".

Contexto histórico

Há que dizer que os povos da Rússia e Bulgária têm uma história comum. Os dois povos eslavos têm línguas similares. No fim do século XIX, a Rússia participou na guerra contra o Império Otomano, que discriminava a população búlgara. Isso foi o primeiro passo primeiramente para a autonomia e depois para a independência da Bulgária. Apesar disso, no século XX a Bulgária participou na Primeira e Segunda Guerras Mundiais como adversário da Rússia.

No início do século XXI a Bulgária aderiu aos dois blocos ocidentais. Em 2004 a Bulgária se tornou membro da OTAN, e em 2007, da União Europeia. No fim de 2014 a Rússia teve de desistir da construção do gasoduto South Stream [Corrente do Sul] que se estendia pelo fundo do mar Negro por causa da posição não construtiva da Bulgária.


Postar um comentário