Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Bulgária fechou seu espaço aéreo para aviões russos

A Bulgária se recusou a autorizar voos para o transporte de ajuda humanitária através do seu espaço aéreo, informou a Reuters na terça-feira citando a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores búlgaro.


Sputnik

"O Ministério das Relações Exteriores búlgaro recusou à Rússia autorização para voos de aeronaves militares russas com ajuda humanitária através do seu território para a Síria", disse a porta-voz à Reuters acrescentando que a decisão foi tomada nos últimos dias.


Avião do Ministério de Emergência russo
© Sputnik/ Iliya Pitalev

Segundo o jornal grego Kathimerini, a decisão búlgara foi um alívio para o governo grego que está sob a pressão de Washington. Agora o assunto de permitir à Rússia realizar voos através seu espaço aéreo já não é relevante.

A Rússia entregará a ajuda humanitária à Síria através do Irã, informa o jornal.

O porta-voz do Ministério de Defesa da Bulgária, Daniel Stefanov, confirmou que o país fechou o seu espaço aéreo para aeronaves russas que transportem cargas humanitárias para a Síria. "Sim, podemos confirmar que a Bulgária fechou o seu espaço aéreo para aviões militares russos que se dirigem para a Síria", disse Daniel Stefanov à Sputnik.

No comunicado do ministério diz-se que a Bulgária proibiu a entrada das aeronaves militares no seu espaço aéreo até 24 de setembro.

Segundo o comunicado, "a razão de fechar o espaço aéreo está relacionada com as informações incorretas nos pedidos russos sobre o objetivo dos voos e tipo de cargas".

No sábado, a embaixada norte-americana apelou a Atenas para que proibisse os voos de aeronaves russas, mas a Grécia se recusou de fazer isso, disse uma fonte à RIA Novosti.

Vladimir Dzhabarov, vice-presidente do Comitê dos assuntos internacionais do Conselho da Federação, câmara alta do parlamento russo, disse na segunda-feira que a Rússia pode realizar voos para a Síria usando outros percursos. O senador indicou o Irã, a Turquia e os países da Ásia Central, que podem assistir à Rússia na concretização da sua missão humanitária na Síria.

Em sua entrevista à radioemissora "Govorit Moskva" o senador afirmou: "A atitude [da Bulgária] é absolutamente hostil. Está claro que fizeram isso para agradar aos EUA. Segundo as informações que tenho, os EUA nem lhes pediram, é a sua iniciativa. Infelizmente, o povo amigável, com quem partilhamos a herança conjunta da religião cristã ortodoxa, deu um passo pouco humano. Trata-se de fornecimentos de ajuda humanitária e não de equipamento militar ou tropas".

Contexto histórico

Há que dizer que os povos da Rússia e Bulgária têm uma história comum. Os dois povos eslavos têm línguas similares. No fim do século XIX, a Rússia participou na guerra contra o Império Otomano, que discriminava a população búlgara. Isso foi o primeiro passo primeiramente para a autonomia e depois para a independência da Bulgária. Apesar disso, no século XX a Bulgária participou na Primeira e Segunda Guerras Mundiais como adversário da Rússia.

No início do século XXI a Bulgária aderiu aos dois blocos ocidentais. Em 2004 a Bulgária se tornou membro da OTAN, e em 2007, da União Europeia. No fim de 2014 a Rússia teve de desistir da construção do gasoduto South Stream [Corrente do Sul] que se estendia pelo fundo do mar Negro por causa da posição não construtiva da Bulgária.


Postar um comentário