Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Venezuela está disposta a 'defender soberania e independência de Nicarágua'

Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela, avisou da capital nicaraguense, Manágua, que o presidente Nicolás Maduro está disposto a apoiar a Nicarágua em defesa de sua soberania se for necessário.
Sputnik

"Se [nós] o povo bolivariano, os revolucionários da Venezuela, tivéssemos que vir à Nicarágua para defender a soberania e a independência nicaraguense, e oferecer nosso sangue pela Nicarágua, iríamos como Sandino, até à montanha de Nueva Segovia", expressou Arreaza.

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela fez essas declarações durante a comemoração dos 39 anos do triunfo da Revolução Sandinista em Nicarágua, país para o qual viajou em 19 de julho.

O socialismo, enfatizou Arreaza, é o caminho certo, e assegurou que a Venezuela passou por uma situação semelhante da qual a Nicarágua enfrenta desde abril deste ano.

"Caros compatriotas, dizemos-lhes porque vivemos essa mesma experiência que vocês vivem nos últimos meses, nós as chamamos de guarimbas [termo para protesto popu…

Defesa que anda no trilho

Estreante no país durante a Primeira Guerra Mundial, técnica militar ferroviária se desenvolveu ao longo do século 20, culminando em modernos trens blindados, peças de artilharia de grande calibre e sistemas de mísseis ferroviários. Conheça abaixo os três aparatos mais exclusivos do arsenal russo.


Vadim Matvéiev | Gazeta Russa

1. Trem de Apoio Técnico-Material (ATM)

No último dia 14, a Rússia deu início aos Exercícios Estratégicos do Comando e Estado-Maior ‘Centro 2015’, os de maior escala deste ano. Para executar as tarefas definidas, o comando inseriu nos exercícios o único exemplar existente na Rússia de um trem de Apoio Técnico-Material (ATM). Devido à inexistência de blindagem nos vagões, essa máquina atua apenas na retaguarda operacional.

Os recursos desse complexo ferroviário permitem atender às necessidades básicas e sanitárias das tropas: desde a lavagem dos uniformes militares até a desinfecção de soldados feridos. O ATM está também preparado para executar funções de Estado-Maior e, por isso, dispõe de um moderno equipamento de comunicação.

A existência de um gerador elétrico de 2 MW de potência (equivalente ao de uma fábrica de pequeno porte) torna esse complexo ferroviário independente em termos de energia.

2. Sistema de combate de míssil ferroviário


Os sistemas de combate de mísseis ferroviários são verdadeiros trens do “juízo final”, pois garantem um ataque nuclear de retaliação em resposta a qualquer ofensiva.

Resultado de imagem para Sistema de combate de míssil ferroviário é capaz de retaliação nuclear imediata
Sistema de combate de míssil ferroviário é capaz de retaliação nuclear imediata | PhotoXPress

A URSS tinha em seu Exército doze trens especiais carregados com sistemas de mísseis 15P961 Molodets. Cada trem portava três mísseis estratégicos com 10 ogivas que foram apelidadas no Ocidente de “Stiletto”.

Esses sistemas de combate de mísseis ferroviários estiveram em serviço de 1987 a 1994, ano em que, segundo os termos do tratado Start II, a Rússia se comprometeu a eliminar todos os mísseis RT 23 Molodets. Em 2013, porém, a liderança russa decidiu retomar o desenvolvimento de sistemas de mísseis ferroviários de combate.

O novo sistema de mísseis ferroviários, camuflado sob a forma de vagões refrigerados, será equipado com os mais modernos mísseis balísticos intercontinentais e ogivas múltiplas Yars.

3. Trem blindado


Durante a operação antiterrorista no Cáucaso do Norte, entre 2002 e 2009, os militares criaram um grupo de trens blindados para as tropas ferroviárias.

Resultado de imagem para Sistema de combate de míssil ferroviário é capaz de retaliação nuclear imediata
Trens blindados da Rússia foram desenvolvidos para operação no Cáucaso do Norte Foto: PhotoXPress

Por ordem do ex-ministro da Defesa, Anatóli Serdiukov, esses trens foram retirados da ativa. Mas o atual chefe da pasta, Serguêi Choigu, exigiu a sua recolocação no Exército.

As principais tarefas dos trens blindados especiais incluem a proteção das composições ferroviárias com cargas de finalidade civil ou militar, bem como o transporte de soldados e outros militares, a fim de evitar atos terroristas.

Além disso, durante as últimas operações antiterroristas na Tchetchênia, os trens blindados já realizaram com sucesso a proteção das unidades de sapadores que neutralizavam engenhos explosivos colocados nos trilhos ferroviários.

Atualmente, a Rússia dispõe de quatro trens blindados – o Baikal, o Terek, o Amur e o Don –, que estiveram em serviço na fronteira sino-soviética no final dos anos 1980.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas