Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Diplomata diz que destituição de Bashar Assad favorece o Estado Islâmico

O ex-vice-secretário-geral da ONU, Sergey Ordzhonikidze, disse nesta segunda-feira (28) à rádio Baltkom, da Letônia, que Bashar Assad é um presidente (da Síria) legitimamente eleito e que as tentativas dos EUA e de seus aliados de retirá-lo do poder são infundadas e só favorecem o grupo Estado Islâmico (EI).


Sputnik

“Após a remoção de Asad, se repetiria o quadro da Líbia de caos e anarquia, o que só convém ao Estado Islâmico”, disse ele.


Bashar al-Assad, presidente da Síria
Bashar al-Assad © AFP 2015/ AFP PHOTO / HO / SANA

Ordzhonikidze também observou que se um líder tem uma política que não convém aos EUA, este logo o qualifica como ilegítimo, de ditatorial e propõe sua deposição. 

Desde março de 2011, a Síria vive um conflito armado que provocou mais de 220 mil mortes, de acordo com estimativas da ONU. As tropas do governo estão enfrentando várias facções armadas, como os terroristas do Estado Islâmico e a Frente al-Nusra, vinculada à Al Qaeda.

Postar um comentário