Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Especialista militar desmente rumores sobre porta-aviões chinês se aproximando da Síria

As informações sobre um porta-aviões chinês que estaria se deslocando rumo ao litoral da Síria através do mar Mediterrâneo são falsas, disse um especialista militar.


Sputnik

Mais cedo nesta segunda-feira, o jornal libanês al-Masdar tinha alegado em uma matéria que um navio transportando “militares chineses e material para veículos aéreos” deveria chegar ao porto de Tartus “nas próximas semanas”.


Porta-aviões chinês Liaoning
Porta-aviões chinês Liaoning © AP Photo/ Xinhua, Li Tang

Já o especialista Zhang Junshe, do Instituto da Marinha do Exército de Libertação Popular da China, comentou que as informações “não passam de rumores falsos”.

Disse, citado pelo jornal Huanqiu:

“As informações sobre um porta-aviões chinês que estaria se deslocando rumo ao mar Mediterrâneo não passam de rumores falsos. Essas informações não correspondem à realidade. A China não pode ter enviado um navio para apoiar a Síria em algum aspeto que seja. A postura da China é de respeito à livre escolha do povo sírio, de não interferência militar nos assuntos da Síria e de não participação da mudança do poder por meio de violência. E por isso a China não podia enviar um porta-aviões à Síria para interferir nos assuntos internos desse país. A China não vai patrocinar nenhum grupo ou indivíduo na Síria – neste assunto, a China é partidária de métodos justos e objetivos”.

No domingo, 27, algumas horas antes de se iniciar a Cúpula do Desenvolvimento Sustentável, integrada na 70ª Assembleia Geral da ONU, soube-se que a França bombardeou as posições do Estado Islâmico (grupo terrorista proibido na Rússia). As autoridades francesas declararam que iriam continuar e que o faziam em “autodefesa”.


Postar um comentário