Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

EUA bloqueiam proposta da Rússia na ONU contra EI

Correio do Brasil, com Sputnik-Brasil – de Nova York, EUA

Os Estados Unidos bloquearam a proposta da Rússia de incluir o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na lista de sanções do Conselho de Segurança da ONU, mas Moscou continuará levantando essa questão. A declaração é do diretor do departamento para novos desafios e ameaças do ministério das relações exteriores da Rússia, Ilia Rogachev, neste sábado.


Caça russo patrulha território ocupado pelo Estado Islâmico, na Síria
Caça russo patrulha território ocupado pelo Estado Islâmico, na Síria

— Não é segredo pra ninguém que o EI é uma estrutura independente que de certa forma serve como rival da ‘Al-Qaeda’. Nós já propomos incluir o EI na lista de sanções da ONU como grupo independente. Mas nossa proposta é bloqueada pelos membros ocidentais do Conselho de Segurança, em primeiro lugar os EUA, sob vários pretextos —afirmou o diplomata russo.

Segundo Rogachev, eles consideram que o “Estado Islâmico é a ‘Al-Qaeda’ no Iraque, que mudou de ‘marca’, que a Al-Qaeda renasceu, que a ‘Al-Qaeda no Iraque’ não existe mais, mas Moscou possui “outras informações”.

— Nós consideramos que os norte-americanos afirmam isso apenas por causa das circunstâncias: o desejo de mostrar que o poder do EI e o seu sucesso atual não deriva do fato de que os ocidentais, especialmente os Estados Unidos, nutriram a oposição ao governo de Bashar al-Assad, inclusive destinando recursos significativos nas mãos de extremistas. Isso é uma posição puramente política, que não tem quase nada a ver com medidas antiterroristas. Portanto, nós levantamos fortemente esta questão e continuaremos a colocar enfaticamente — disse Rogachev.


Postar um comentário