Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Troféus de guerra: tecnologias militares desviadas nos últimos 20 anos

A espionagem na indústria militar é uma das formas mais eficazes de obter a tecnologia que não se possui. Na guerra invisível conduzida pelos serviços secretos todos os meios são usados.
Sputnik

A Sputnik conta sobre as tecnologias das quais, em vários momentos, os governos conseguiram se apropriar. 

Drone desaparecido

Em 4 de dezembro de 2011, o mais novo drone stealth norte-americano RQ-170 Sentinel desapareceu no oeste do Afeganistão. Segundo o Pentágono, alguém "cortou" o canal de comunicação entre o drone e o operador. Cinco dias depois, um veículo aéreo não tripulado com características de design semelhantes foi apresentado na televisão iraniana. Ainda não se sabe exatamente como o controle do drone foi interceptado. Especialistas acreditam que isso não poderia ter acontecido sem um moderno sistema de guerra eletrônica entregue ao Irã pela Rússia ou China. Não há informações oficiais sobre esse assunto.

O ex-presidente dos EUA, Barack Obama, apelou às autoridades da Repúbl…

Grã-Bretanha admite envolvimento em acidente com submarino e traineira

O Ministério da defesa da Grã-Bretanha admitiu, cinco meses depois, que foi um submarino britânico - e não um russo, como se acreditava - que colidiu com uma traineira na costa sudeste da Irlanda do Norte.


Sputnik

Em abril deste ano, machetes de tabloides do Reino Unido faziam alarde com a história do barco de pesca que quase naufragou após uma "colisão com um submarino russo" no Mar da Irlanda.


Royal Navy submarine
© flickr.com/ UK Ministry of Defense

Na época, uma organização de pescadores alegava que um submarino russo havia atingido a traineira e arrastado a embarcação após suas redes ficarem presas no submarino.

Em relatos dramáticos sobre o evento, tripulantes da traineira tiverem dificuldade para desprender os cabos presos à traineira, que "estava navegando lentamente para a frente, mas repentinamente foi arrastada para trás na água."

A embarcação voltou para a cidade de Ardglass, na Irlanda do Norte, onde a teoria sobre o envolvimento de um submarino russo ganhou força. Dick James, representante de uma associação de pescadores locais, afirmou que "não é sempre possível prevenir, mas se um acidente assim acontecesse com um navio da Marinha Real Britânica, o protocolo manda que o submarino subisse à superfície imediatamente para conferir a saúde dos envolvidos, e este submarino não fez isso."


Postar um comentário

Postagens mais visitadas