Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Grã-Bretanha admite envolvimento em acidente com submarino e traineira

O Ministério da defesa da Grã-Bretanha admitiu, cinco meses depois, que foi um submarino britânico - e não um russo, como se acreditava - que colidiu com uma traineira na costa sudeste da Irlanda do Norte.


Sputnik

Em abril deste ano, machetes de tabloides do Reino Unido faziam alarde com a história do barco de pesca que quase naufragou após uma "colisão com um submarino russo" no Mar da Irlanda.


Royal Navy submarine
© flickr.com/ UK Ministry of Defense

Na época, uma organização de pescadores alegava que um submarino russo havia atingido a traineira e arrastado a embarcação após suas redes ficarem presas no submarino.

Em relatos dramáticos sobre o evento, tripulantes da traineira tiverem dificuldade para desprender os cabos presos à traineira, que "estava navegando lentamente para a frente, mas repentinamente foi arrastada para trás na água."

A embarcação voltou para a cidade de Ardglass, na Irlanda do Norte, onde a teoria sobre o envolvimento de um submarino russo ganhou força. Dick James, representante de uma associação de pescadores locais, afirmou que "não é sempre possível prevenir, mas se um acidente assim acontecesse com um navio da Marinha Real Britânica, o protocolo manda que o submarino subisse à superfície imediatamente para conferir a saúde dos envolvidos, e este submarino não fez isso."


Postar um comentário