Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Grã-Bretanha admite envolvimento em acidente com submarino e traineira

O Ministério da defesa da Grã-Bretanha admitiu, cinco meses depois, que foi um submarino britânico - e não um russo, como se acreditava - que colidiu com uma traineira na costa sudeste da Irlanda do Norte.


Sputnik

Em abril deste ano, machetes de tabloides do Reino Unido faziam alarde com a história do barco de pesca que quase naufragou após uma "colisão com um submarino russo" no Mar da Irlanda.


Royal Navy submarine
© flickr.com/ UK Ministry of Defense

Na época, uma organização de pescadores alegava que um submarino russo havia atingido a traineira e arrastado a embarcação após suas redes ficarem presas no submarino.

Em relatos dramáticos sobre o evento, tripulantes da traineira tiverem dificuldade para desprender os cabos presos à traineira, que "estava navegando lentamente para a frente, mas repentinamente foi arrastada para trás na água."

A embarcação voltou para a cidade de Ardglass, na Irlanda do Norte, onde a teoria sobre o envolvimento de um submarino russo ganhou força. Dick James, representante de uma associação de pescadores locais, afirmou que "não é sempre possível prevenir, mas se um acidente assim acontecesse com um navio da Marinha Real Britânica, o protocolo manda que o submarino subisse à superfície imediatamente para conferir a saúde dos envolvidos, e este submarino não fez isso."


Postar um comentário

Postagens mais visitadas