Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Grupo de contato na Ucrânia não consegue acordo para retirada de armas inferiores a 100mm

O Grupo de Contato Trilateral que tenta encontrar uma solução para o conflito no leste da Ucrânia não conseguiu, nesta terça-feira, em Minsk, um acordo para a retirada das armas de calibre inferior a 100 milímetros da linha de separação em Donbass, informou uma fonte a par das negociações.


Sputnik

A fonte disse ainda que o representante da Ucrânia no Grupo, o ex-presidente Leonid Kuchma, já está prestes a deixar a capital bielorrussa.


Posto de checagem da autoproclamada República Popular de Donetsk
Posto de checagem em Donetsk © AP Photo/ Darko Vojinovic

No encontro anterior, realizado no dia 26 de agosto, também não foi possível chegar a um documento final, apesar de dois dias de conversas e negociações.

Tanto as partes envolvidas no conflito quanto os observadores da OSCE constatam o respeito à trégua a partir do dia 1º de setembro, ainda que todos dias cheguem notícias de violações esporádicas do cessar-fogo.



Postar um comentário