Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

MPF/SP recomenda suspensão do resultado de concurso público da Amazul e nova classificação dos candidatos

Inquérito comprovou irregularidades no processo de seleção


Assessoria de Comunicação | Procuradoria da República no Estado de S. Paulo

O Ministério Público Federal em São Paulo recomendou à Amazônia Azul Tecnologias de Defesa (Amazul) que suspenda o resultado do concurso público para o cargo de técnico em desenvolvimento de tecnologia nuclear – operador de processo I, realizado em 2014. O inquérito instaurado para apurar irregularidades no certame revelou que a pontuação final foi calculada de forma contrária às regras que constam no edital. O MPF também reivindica uma nova classificação dos candidatos e a divulgação das medidas adotadas.




De acordo com as investigações, a Amazul realizava a fase do teste de aptidão física (TAF) de forma classificatória e eliminatória. A nota era somada à pontuação da prova objetiva a fim de obter o resultado final. Porém, o edital de abertura é claro ao definir que o TAF é de caráter eliminatório, de forma que os candidatos reprovados nesta etapa não tenham classificação no concurso. A instituição também não realizava a prova de títulos, fase prevista no edital como de caráter classificatório e que deveria ser feita após a realização da prova objetiva.

O MPF recomenda ainda que a Amazul anule a contratação dos candidatos já nomeados e que convoque aqueles que foram aprovados na reclassificação. A instituição tem 10 dias para informar se irá acatar as medidas recomendadas. A Amazul é uma empresa pública federal voltada ao desenvolvimento de tecnologias para o Programa Nuclear Brasileiro e para o setor nuclear da Marinha. A recomendação foi expedida pelo procurador da República José Roberto Pimenta Oliveira.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas