Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Navio dos EUA entra no Mar Negro e recebe cumprimento de comandante russo

O vice-almirante norte-americano, James Foggo, afirmou na quarta-feira (2) que o comandante da fragata russa de mísseis guiados Ladny fez uma cordial saudação ao seu homólogo do USS Donald Cook, Chuck Hampton, quando o navio dos EUA entrou no Mar Negro em 28 de agosto.


Sputnik

“Quando estamos no mar e os nossos navios de guerra encontram um ao outro, nós nos comunicamos da forma como fazemos com qualquer outra marinha”, afirmou Foggo a repórteres, explicando que tal comunicação envolve chamadas de rádio e luzes piscando.


Fragata russa Ladny.
Fragata Ladny © Sputnik/ Vasiliy Batanov

A marinha da Rússia monitora navios dos EUA que entram no Mar Negro através do Estreito de Bósforo, onde “nove vezes em 10, um navio de guerra russo está esperando por nós”, disse Foggo. As forças norte-americanas estiveram na região para os exercícios Breeze, Escudo do Mar, em julho, e Trident Poseidon, em maio.

Além de acompanhar o Donald Cook, a frota naval da Rússia no Mar Negro também manterá vigilância sobre os exercícios navais Sea Breeze, atualmente realizados pela OTAN e pela Ucrânia. Os militares russos usam a inteligência de rádio e aviões de reconhecimento.

“Enquanto estamos lá fora, em estreita proximidade, podemos manter um olho sobre eles como eles mantém um olho em nós. Até agora, tem sido uma interação profissional”, disse Foggo.


Postar um comentário