Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Nicolas Sarkozy: Nova Guerra Fria com a Rússia é um erro grave

O ex-presidente da França, Nicolas Sarkozy, afirmou em entrevista ao Le Figaro na quarta-feira (9) que o mundo precisa da Rússia para acabar com a guerra civil na Síria e expulsar o Estado Islâmico. Ele também conclamou o Ocidente a não iniciar uma nova Guerra Fria.


Sputnik

“Preparar o terreno para uma nova Guerra Fria com a Rússia é um erro grave. Precisamos da Rússia para acabar com o conflito na Síria e na nossa luta contra Estado Islâmico… A Rússia deve voltar ao G8 e levantar a proibição de importação de carne, enquanto que a Europa precisa reiniciar o diálogo mutuamente benéfico com Moscou”, disse Sarkozy.


Nicolas Sarkozy
Nicolas Sarkozy © Sputnik/ Ekaterina Chesnokova

Os EUA, a União Europeia e os seus aliados impuseram várias rodadas de sanções econômicas, financeiras e tecnológicas sobre a Rússia sobre sua suposta intromissão nos assuntos internos da Ucrânia. A Rússia tem repetidamente negado as afirmações e respondeu às restrições com a proibição de importação de alimentos.

Em outubro, segundo o Palácio Eliseu, os líderes de França, Alemanha, Ucrânia e Rússia se encontrarão em Paris para debater a questão ucraniana.


Postar um comentário