Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Nicolas Sarkozy: Nova Guerra Fria com a Rússia é um erro grave

O ex-presidente da França, Nicolas Sarkozy, afirmou em entrevista ao Le Figaro na quarta-feira (9) que o mundo precisa da Rússia para acabar com a guerra civil na Síria e expulsar o Estado Islâmico. Ele também conclamou o Ocidente a não iniciar uma nova Guerra Fria.


Sputnik

“Preparar o terreno para uma nova Guerra Fria com a Rússia é um erro grave. Precisamos da Rússia para acabar com o conflito na Síria e na nossa luta contra Estado Islâmico… A Rússia deve voltar ao G8 e levantar a proibição de importação de carne, enquanto que a Europa precisa reiniciar o diálogo mutuamente benéfico com Moscou”, disse Sarkozy.


Nicolas Sarkozy
Nicolas Sarkozy © Sputnik/ Ekaterina Chesnokova

Os EUA, a União Europeia e os seus aliados impuseram várias rodadas de sanções econômicas, financeiras e tecnológicas sobre a Rússia sobre sua suposta intromissão nos assuntos internos da Ucrânia. A Rússia tem repetidamente negado as afirmações e respondeu às restrições com a proibição de importação de alimentos.

Em outubro, segundo o Palácio Eliseu, os líderes de França, Alemanha, Ucrânia e Rússia se encontrarão em Paris para debater a questão ucraniana.


Postar um comentário