Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

ONG: EUA mobiliza terroristas no sul da Síria para atacar Ghouta Oriental

Os militares norte-americanos estão mobilizando combatentes de diversos grupos armados com objetivo de atacar os subúrbios orientais de Damasco, disse à Sputnik o chefe da rede de direitos humanos na Síria, Ahmad Kazem.
Sputnik

"Neste momento os EUA estão juntando os combatentes do Daesh e outros grupos, inclusive os de Idlib, e tenta os transferir para At-Tanf e depois para Ghouta Oriental (subúrbio de Damasco), com objetivo de se contrapor ao exército sírio, que pretende liberar a região dos terroristas", disse Kazem. 


Segundo o defensor dos direitos humanos, os financiadores da Arábia Saudita ordenaram que os terroristas já localizados em Guta Oriental empreendam o máximo dos esforços para resistir às tropas de Damasco.

"Eles continuarão a atacar Damasco de forma caótica com seus morteiros", acrescentou o entrevistado.

Os terroristas, que tomaram o subúrbio oriental de Damasco, continuam a disparar contra os bairros centrais e residenciais da capital síria. Nesta qui…

Nicolas Sarkozy: Nova Guerra Fria com a Rússia é um erro grave

O ex-presidente da França, Nicolas Sarkozy, afirmou em entrevista ao Le Figaro na quarta-feira (9) que o mundo precisa da Rússia para acabar com a guerra civil na Síria e expulsar o Estado Islâmico. Ele também conclamou o Ocidente a não iniciar uma nova Guerra Fria.


Sputnik

“Preparar o terreno para uma nova Guerra Fria com a Rússia é um erro grave. Precisamos da Rússia para acabar com o conflito na Síria e na nossa luta contra Estado Islâmico… A Rússia deve voltar ao G8 e levantar a proibição de importação de carne, enquanto que a Europa precisa reiniciar o diálogo mutuamente benéfico com Moscou”, disse Sarkozy.


Nicolas Sarkozy
Nicolas Sarkozy © Sputnik/ Ekaterina Chesnokova

Os EUA, a União Europeia e os seus aliados impuseram várias rodadas de sanções econômicas, financeiras e tecnológicas sobre a Rússia sobre sua suposta intromissão nos assuntos internos da Ucrânia. A Rússia tem repetidamente negado as afirmações e respondeu às restrições com a proibição de importação de alimentos.

Em outubro, segundo o Palácio Eliseu, os líderes de França, Alemanha, Ucrânia e Rússia se encontrarão em Paris para debater a questão ucraniana.


Postar um comentário