Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

OTAN envolve Áustria no armamento da Ucrânia

Peter Pilz, do partido dos Verdes, o terceiro maior partido na Áustria, advertiu que Viena se tornou "cúmplice" da OTAN no armamento de Kiev, ao permitir que os transportes militares passem pelo seu território, informa o jornal Kurier.


Sputnik

Desde o início de 2014, os membros da OTAN organizaram mais de 3.200 transportes de pessoal militar e material bélico para a Ucrânia. A maioria deles foi realizada pelos norte-americanos, mas alguns vieram da Alemanha, Itália, França e Grã-Bretanha.


Bandeira da Áustria
© AFP 2015/ JOE KLAMAR

A Áustria é um Estado neutro e pretende manter esse status. As transferências militares através do seu território são, portanto, um sinal preocupante para muitos cidadãos. Para Pilz, são incompatíveis com a neutralidade e podem levar à militarização da Áustria.

Os Verdes pediram ao chanceler federal, Werner Faymann, convocar uma reunião do Conselho de Segurança Nacional para discutir o assunto.

Segundo o jornal, desde o golpe de Estado apoiado pelos EUA na Ucrânia, em fevereiro de 2014, Washington "entregava o material bélico para o governo em Kiev e os militares dos EUA treinaram os soldados ucranianos”. “Os países-membros da OTAN também reforçam o seu poder militar nos países bálticos, Bulgária, Romênia e Polônia”, observou Kurier.

Moscou tem repetidamente afirmado que o envio de armas para Kiev só provocaria violência e massacres maiores no país que já está devastado pela guerra.


Postar um comentário