Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Troféus de guerra: tecnologias militares desviadas nos últimos 20 anos

A espionagem na indústria militar é uma das formas mais eficazes de obter a tecnologia que não se possui. Na guerra invisível conduzida pelos serviços secretos todos os meios são usados.
Sputnik

A Sputnik conta sobre as tecnologias das quais, em vários momentos, os governos conseguiram se apropriar. 

Drone desaparecido

Em 4 de dezembro de 2011, o mais novo drone stealth norte-americano RQ-170 Sentinel desapareceu no oeste do Afeganistão. Segundo o Pentágono, alguém "cortou" o canal de comunicação entre o drone e o operador. Cinco dias depois, um veículo aéreo não tripulado com características de design semelhantes foi apresentado na televisão iraniana. Ainda não se sabe exatamente como o controle do drone foi interceptado. Especialistas acreditam que isso não poderia ter acontecido sem um moderno sistema de guerra eletrônica entregue ao Irã pela Rússia ou China. Não há informações oficiais sobre esse assunto.

O ex-presidente dos EUA, Barack Obama, apelou às autoridades da Repúbl…

OTAN envolve Áustria no armamento da Ucrânia

Peter Pilz, do partido dos Verdes, o terceiro maior partido na Áustria, advertiu que Viena se tornou "cúmplice" da OTAN no armamento de Kiev, ao permitir que os transportes militares passem pelo seu território, informa o jornal Kurier.


Sputnik

Desde o início de 2014, os membros da OTAN organizaram mais de 3.200 transportes de pessoal militar e material bélico para a Ucrânia. A maioria deles foi realizada pelos norte-americanos, mas alguns vieram da Alemanha, Itália, França e Grã-Bretanha.


Bandeira da Áustria
© AFP 2015/ JOE KLAMAR

A Áustria é um Estado neutro e pretende manter esse status. As transferências militares através do seu território são, portanto, um sinal preocupante para muitos cidadãos. Para Pilz, são incompatíveis com a neutralidade e podem levar à militarização da Áustria.

Os Verdes pediram ao chanceler federal, Werner Faymann, convocar uma reunião do Conselho de Segurança Nacional para discutir o assunto.

Segundo o jornal, desde o golpe de Estado apoiado pelos EUA na Ucrânia, em fevereiro de 2014, Washington "entregava o material bélico para o governo em Kiev e os militares dos EUA treinaram os soldados ucranianos”. “Os países-membros da OTAN também reforçam o seu poder militar nos países bálticos, Bulgária, Romênia e Polônia”, observou Kurier.

Moscou tem repetidamente afirmado que o envio de armas para Kiev só provocaria violência e massacres maiores no país que já está devastado pela guerra.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas