Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Pentágono se preocupa com projeto de drone submarino da Rússia

O Pentágono está preocupado com o desenvolvimento russo de um projeto de submarino não tripulado, capaz de transportar dezenas de megatons em ogivas, escreve The Washington Free Beacon.


Sputnik

O projeto, que teria sido apelidado pelo próprio Pentágono com o codinome Canyon, faz parte do programa de modernização das forças nucleares da Rússia, e representa um potencial perigo para bases de submarinos norte-americanos, destaca a publicação.

“Esse drone submarino será capaz de desenvolver grandes velocidade e percorrer longas distâncias” – revelou uma fonte anônima entrevistada pelo The Washington Free Beacon.

Segundo a publicação, as característica apresentadas pelo drone submarino Canyon dariam a ele a capacidade de atacar bases estratégicas de submarinos dos EUA. O projeto, no entanto, ainda estaria longe de um protótipo ou da realização de testes, destacou o interlocutor.

O especialista naval Norman Polmar, acredita que o Canyon pode estar sendo desenvolvido com base no torpedo nuclear soviético T-15, sobre o qual ele chegou a dedicar um de seus livros.


Torpedo nuclear T-15

“A marinha russa e o seu antecessor, a marinha das URSS, foram inovadoras na área de sistemas e armas subaquáticas” – comentou Polmar, destacando que o mesmo vale para os mais avançados torpedos já criados até hoje.


Postar um comentário