Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Polônia receberá mísseis americanos para caças F-16

A Força Aérea polonesa receberá mísseis ar-terra de longo alcance no âmbito de um contrato com os EUA, segundo representantes da Lockheed Martin.


Sputnik

A Lockheed Martin é empresa norte-americana fabricante de produtos aeroespaciais. É a maior produtora de equipamentos militares do mundo.




"A Lockheed Martin recebeu um contrato da Força Aérea dos EUA, no quadro do programa Foreign Military Sales, para fornecer mísseis ar-terra de longo alcance (JASSM) para a frota de F-16 da Força Aérea polonesa", se diz no comunicado.


O Foreign Military Sales é um programa do Departamento da Defesa norte-americano que visa facilitar a venda de armas, equipamentos de defesa e treinamentos militares a governos estrangeiros.

A Polónia irá se tornar a terceira nação a receber os mísseis, depois da Austrália e da Finlândia, de acordo com a Lockheed Martin.

A empresa irá fornecer à Força Aérea polonesa não apenas mísseis, mas também hardware, software e documentação, informa o comunicado.

"O JASSM fornece a Polónia com flexibilidade operacional, fiabilidade e eficácia da missão, para satisfazer as suas necessidades de defesa nacional", disse Joe Garland, vice-presidente da Lockheed Martin Missiles and Fire Control.

Até hoje, a Lockheed Martin já produziu mais de 1700 mísseis de cruzeiro JASSM para os caças F-16, que estão entre os aviões de combate da Força Aérea dos EUA mais antigos e frequentemente usados.

O JASSM é um míssil projetado para destruir alvos bem defendidos, pode ser integrado em vários tipos de aeronaves militares, de acordo com a Lockheed Martin.

Postar um comentário