Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Rússia desenvolve drone para 'caçar' o F-35

A Rússia projeta um avião não tripulado para detectar e destruir aviões furtivos como o caça americano F-35, segundo relatam veículos de imprensa citando um representante do consórcio russo KRET.


Sputnik

O diretor-geral adjunto do consórcio, Vladimir Mikheev, afirmou que o KRET participa do projeto e desenvolve o radar, os sistemas de guerra eletrônica e as estações terrestres de controle.


Caça F-35
F-35 Lightning II © flickr.com/ Samuel King Jr

O drone tem como objetivo “caçar” aviões como o F-22, o F-35 e o B-2, assim como o ambicioso programa chinês Águia Divina, que, segundo Mikheev, é baseado em tecnologias russas e americanas. O drone chinês vem sendo descrito como a maior aeronave não tripulada já projetada.

Em julho do ano passado, foi revelado que a China já testava o Águia Divina, também capaz de localizar aviões de espionagem que custam milhões de dólares ao Pentágono. O F-35, por exemplo, é o caça de quinta geração mais caro da história e desde 2001 já custou US$ 391 milhões aos EUA, segundo números do Pentágono.



Postar um comentário