Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Rússia moderniza frota de helicópteros paquistanesa

O Paquistão vai adquirir os helicópteros russos Mi-35M e, provavelmente, os Mi-28N conhecidos como “Caçador Noturno”. Isto permitirá ao país aumentar significativamente o seu potencial aéreo e, assim, trará dificuldades aos agrupamentos terroristas islâmicos, incluindo o Estado Islâmico, segundo a revista russa Voenno-Promyshlennyi Kurier.


Sputnik

O journalista da Sputnik Dari Pyotr Goncharov faz notar que ao escolher o fornecedor de helicópteros, qualquer país da região, seja o Paquistão, seja a Índia, tem em conta dois fatores. O primeiro são as possibilidades técnicas do helicóptero de transportar pessoal e equipamentos militares, de evacuação, se for necessário. O segundo é a possibilidade de dar apoio aéreo à suas tropas durante as ações militares.

Mil Mi 35M

Atualmente a frota de helicópteros paquistanesa se tornou antiquada: mesmo a versão modernizada de 35 helicópteros norte-americanos AH-1F “Cobra” não pode responder às exigências contemporâneas. A fuselagem é frágil, só resistindo a balas até 7,62 milímetros; o canhão é de 20 milímetros.

“Com tais helicópteros não é possível efetuar operação de desembarque, nem de evacuação. E é impossível falar sobre o seu comportamento em combate. Quanto ao Mi-35M, é evidente que este é preferível aos ‘Cobra’ norte-americanos”.

O Mi-35M é eficaz porque é dotado de equipamentos avançados, incluindo sistemas de visão noturna, mísseis antitanque, o sistema de navegação GLONASS/GPS, equipamentos de comunicação resistente a interferências.


Além disso, Islamabad mostra interesse pelo Mi-28N “Caçador Noturno” que tem o sistema da defesa segura contra balas de grande calibre.

Segundo um funcionário paquistanês, se trata da aquisição de 20 helicópteros Mi-35M, o número dos “Caçadores Noturnos” ainda não é certa. Como afirmam fontes paquistanesas, os helicópteros russos podem ser vendidos ao Paquistão exclusivamente “no âmbito do apoio russo às ações antiterroristas do Paquistão”.

No entanto, o especialista em assuntos do Paquistão, Pyotr Topychkanov, prevê algumas dificuldades que podem surgir durante o ajuste comercial. Moscou já apresentou a sua posição a Nova Deli: este acordo com o Paquistão não representa qualquer ameaça à segurança da Índia porque o objetivo do acordo é fortalecer o potencial antiterrorista do seu exército.

“É claro que a Índia encara esta questão de forma cética. A Índia foi testemunha da cooperação americano-paquistanesa antiterrorista e viu que medidas os EUA impuseram ao país, a Índia tem certeza de que estas medidas foram usadas às vezes contra o país”, diz Pyotr Topychkanov.

Segundo o especialista, em tal situação, sem dúvida, há perigo de o Paquistão usar os helicópteros russos contra a Índia e o Afeganistão.

No entanto, o especialista assegura que todas as contradições podem ser resolvidas por vias diplomáticas.


Postar um comentário