Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Tanques alemães não têm chance contra os russos, segundo a Focus alemã

As Forças Armadas alemãs atuais não poderiam repelir um hipotético ataque de tanques russos, acredita o autor de um artigo publicado na revista alemã Focus.


Sputnik

Segundo o artigo, mesmo tendo em conta que Bundeswehr (exército alemão) tem uns dos melhores tanques no mundo, o seu sistema de combate está envelhecendo e não é muito efetivo.


Tanque alemão Leopard-2
Leopard II © AFP 2015/ ERIC PIERMONT

Os projéteis dos tanques usados pelo Exército da Alemanha são incapazes de produzir bastante energia cinética para bater a armadura dos tanques modernos russos T-90 e T-80 modernizados, explica o artigo.

Atualmente, a Rússia implementa o programa de modernização de seus tanques. A qualidade de blindagem e das munições dos tanques T-90 foram muito atualizados desde a implementação nos anos 1990. A Rússia planeja introduzir um novo tanque Armata em 2017.

Devido à reforma do exército a Alemanha reduziu até 225 o número de tanques Leopard-2 que serão introduzidas.

Enquanto isso, a crise na Ucrânia e declarações do Ocidente sobre ameaças à segurança possíveis, a ministra da Defesa alemã, Ursula von der Leyen, ordenou retornar 100 tanques Leopard-2, que deveriam ser reciclados gastando com a decisão 22 milhões de euro. Após a decisão, o número total dos tanques no Bundeswehr atingiu 328.

Segundo o analista militar alemão Hans Ruhle, o aumento das Forças Armadas da Alemanha não tem sentido porque o sistema de combate Leopard-2 é ineficaz.

O especialista opina que para aumentar a eficácia de combate, seria preciso um tanque ter as paredes com urânio empobrecido, mas isso é politicamente inaceitável.

A maioria dos tanques alemães em operação é das séries A-5 e A-6. Cerca de 100 tanques Leopard-2 são de série A-4. O tanque Leopard-2 é produzido desde 1979 e foi modernizado várias vezes.


De acordo com a Focus, a Alemanha espera, em 2017, modernizar as munições dos tanques, que só irá abranger o A-7, a última versão. Atualmente, a Alemanha possui 20 tanques implementados desta série.

Postar um comentário