Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Aviação russa atacou 49 instalações do Estado Islâmico nas últimas 24 horas

A aviação russa fez 33 voos de combate alvejando 49 instalações do Estado Islâmico nas últimas 24 horas.


Sputnik

Segundo o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, major-general Igor Konashenkov, os golpes foram aplicados nas províncias de Aleppo, Damasco, Idlib, Latakia e Hama.


Su-25 russo prepara-se para o voo
Sukhoi Su-25 © Sputnik/ Dmitriy Vinogradov

De acordo com Konashenkov, dois centros de comando, três armazéns de munições, dois búnkers subterrâneos, 32 posições de combate, nove posições de fogo fortificadas e uma fábrica de material bélico foram destruídos.

Além disso, os aviões russos destruíram um centro de comando de outro grupo terrorista, Frente al-Nusra, disse Konashenkov. Este alvo foi atingido por um drone russo.

O porta-voz do ministério disse também que os militantes do Estado Islâmico estão fugindo da região de Damasco, temendo golpes aéreos russos.



Postar um comentário