Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Caças americanos chegam a 20 milhas de jatos russos Su-34 na Síria

Poder Aéreo

O canal de TV americano CBS News teve acesso a uma imagem de radar do CENTCOM (The United States Central Command) mostrando aviões russos (amarelos) muito perto de aviões americanos (verdes).


20-miles-away

Alguns “encontros próximos” entre aeronaves dos EUA e da Rússia que operam sobre a Síria já ocorreram nos últimos dias de acordo com o tenente-general Charles Brown, comandante da campanha aérea americana no Iraque e na Síria, em uma entrevista concedida à CBS News. Segundo Brown, aviões russos também chegaram bem perto de seus drones.

Caças F-16 americanos decolando de Incirlik, Turquia, detectaram aviões russos Su-34 em seus radares. Os jatos russos se aproximaram e ficaram a 20 milhas dos caças F-16, uma distância onde os pilotos americanos puderam identificá-los visualmente por meio de seus pods de designação de alvos.

No dia 5 de outubro, a Turquia informou duas violações de seu espaço aéreo por aeronaves russas baseadas em Latakia, na Síria. Em um dos incidentes, um caça russo travou seu radar num F-16 turco por mais de 5 minutos.



Postar um comentário