Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Caças americanos chegam a 20 milhas de jatos russos Su-34 na Síria

Poder Aéreo

O canal de TV americano CBS News teve acesso a uma imagem de radar do CENTCOM (The United States Central Command) mostrando aviões russos (amarelos) muito perto de aviões americanos (verdes).


20-miles-away

Alguns “encontros próximos” entre aeronaves dos EUA e da Rússia que operam sobre a Síria já ocorreram nos últimos dias de acordo com o tenente-general Charles Brown, comandante da campanha aérea americana no Iraque e na Síria, em uma entrevista concedida à CBS News. Segundo Brown, aviões russos também chegaram bem perto de seus drones.

Caças F-16 americanos decolando de Incirlik, Turquia, detectaram aviões russos Su-34 em seus radares. Os jatos russos se aproximaram e ficaram a 20 milhas dos caças F-16, uma distância onde os pilotos americanos puderam identificá-los visualmente por meio de seus pods de designação de alvos.

No dia 5 de outubro, a Turquia informou duas violações de seu espaço aéreo por aeronaves russas baseadas em Latakia, na Síria. Em um dos incidentes, um caça russo travou seu radar num F-16 turco por mais de 5 minutos.



Postar um comentário