Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Catar não descarta realizar invasão militar na Síria

O ministro de Relações Exteriores do Catar, Khalid al Attiyah, não exclui a possibilidade de seu país invadir militarmente a Síria.


Sputnik

"Junto com nossos irmãos sauditas e a Turquia, não descartamos nenhuma hipótese na hora de defender a população síria", afirmou em uma entrevista à rede CNN Arabic.


Soldados do Catar
Militares do Catar © flickr.com/ Samrah Shahid

Ao responder a pergunta sobre a opção militar, o ministro apontou que ela é possível "se for necessário para defender os sírios de um regime cruel." Há "várias maneiras" de realizar essa opção, completou o ministro, sem dar detalhes.

Al Attiyah também declarou que o Catar continua apoiando o grupo Ahrar al Sham, já que não o considera extremista, mas sim parte de uma "oposição moderada."

Desde março de 2011, a Síria vive um conflito armado que já deixou mais de 250 mil mortos, segundo estimativas da ONU. O governo do país luta contra diferentes facções e militantes de oposição como o grupo terrorista Estado Islâmico.


Postar um comentário