Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Catar não descarta realizar invasão militar na Síria

O ministro de Relações Exteriores do Catar, Khalid al Attiyah, não exclui a possibilidade de seu país invadir militarmente a Síria.


Sputnik

"Junto com nossos irmãos sauditas e a Turquia, não descartamos nenhuma hipótese na hora de defender a população síria", afirmou em uma entrevista à rede CNN Arabic.


Soldados do Catar
Militares do Catar © flickr.com/ Samrah Shahid

Ao responder a pergunta sobre a opção militar, o ministro apontou que ela é possível "se for necessário para defender os sírios de um regime cruel." Há "várias maneiras" de realizar essa opção, completou o ministro, sem dar detalhes.

Al Attiyah também declarou que o Catar continua apoiando o grupo Ahrar al Sham, já que não o considera extremista, mas sim parte de uma "oposição moderada."

Desde março de 2011, a Síria vive um conflito armado que já deixou mais de 250 mil mortos, segundo estimativas da ONU. O governo do país luta contra diferentes facções e militantes de oposição como o grupo terrorista Estado Islâmico.


Postar um comentário