Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Com auxílio russo, exército sírio liberta vale e vilas ocupados por terroristas

O exército sírio continua a avançar e retomar territórios tomados por terroristas em seu país. Nos últimos dias, as forças sírias libertaram um vale localizado a cerca de 25 quilômetros da cidade de Idlib, além de duas vilas próximas à fronteira com a Turquia, confirmaram neste sábado oficiais do país.


Sputnik

“Um pequeno vale o norte da província de Hama foi totalmente libertado. Como resultado de nossa ofensiva, os militantes deixaram para trás uma dúzia de assentamentos realizados aqui”, explicou o general Samir Suleiman, chefe político do exército sírio. 


Soldado sírio com a bandeira do país em montanha perto de Kessab, na fronteira com a Turquia
© Sputnik/ Andrei Stenin

Suleiman afirmou ainda que as forças de seu país agora realizam uma operação de limpeza e extração de minas na região.

“Em algumas cidades, em particular al-Basha, encontramos uma rede de túneis subterrâneos construídos pelos terroristas”, disse o general, lembrando que terroristas da Frente Nusra vêm operando na região.

Ataques aéreos russos destruíram depósitos de munição e bases dos militantes no vale e na cidade de Jisr al-Shughur. A operação da Rússia reduziu a capacidade de combate dos terroristas e deu ao exército sírio a chance de atacar, afirmou o general.

As duas vilas libertadas ficam na província de Latakia. “Começamos a ofensiva na madrugada, entrando pelo sábado, e agora posso dizer com precisão que… (duas vilas) localizadas a quatro quilômetros de nós (vila de Aramo) foram totalmente varridas, e o avanço continua”, disse uma fonte à Sputnik.

Caças russos Sukhoi Su-25, Su-24M e Su-34, com o apoio de aviões Su-30, começaram ataques precisos contra alvos do Estado Islâmico na Síria no dia 30 de setembro, após um pedido do presidente do país, Bashar Assad. Até agora, a aviação russa já bombardeou mais de 100 posições terroristas, destruindo postos de comando, campos de treinamento e arsenais.


Postar um comentário