Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Corte de verbas militares põe em risco combate ao tráfico de armas e drogas nas fronteiras do Brasil

Os cortes orçamentários nos projetos estratégicos das Forças Armadas, como o Sisfron – Sistema Integrado de Monitoramento das Fronteiras, devido à crise econômica, preocupam o ex-ministro da Defesa do Governo Lula, Nélson Jobim.


Sputnik

Ao participar de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, Nélson Jobim disse que a redução de investimentos põe em risco o sucesso dos programas de proteção às fronteiras e o desenvolvimento do setor.

Exército brasileiro em treinamento na Floresta Amazônica.
Exército brasileiro © Fotos Públicas / CCOMSEx

“Temos que ter a perspectiva que isso é algo de longo prazo e que se mantenha”, afirma Jobim. “Nós não podemos ter, digamos, ‘soluços’, no sentido de que há paralisações de investimentos em determinado período.”

O ex-ministro da Defesa avaliou a situação das políticas públicas na área da indústria da defesa nacional e ressaltou não ter certeza de que a Pasta é uma prioridade para a Presidenta Dilma Rousseff como era na Presidência de Lula.

“No Governo Lula, eu tinha clareza de que a questão da Defesa estava dentro da perspectiva governamental do presidente. Clareza eu não tenho já em relação ao Governo da Presidenta Dilma, de que isso seja um tema fundamental a ser mantido.”

Apesar do corte de mais de R$ 5 bilhões no orçamento da Pasta da Defesa, o ex-ministro acredita que ainda é possível manter as prioridades do setor.

Jobim ainda chamou a atenção, durante a reunião da Comissão, sobre o atraso na implantação do Sisfron – Sistema Integrado de Monitoramento das Fronteiras. O programa que tem como objetivo principal coibir o tráfico de drogas e armas nas fronteiras brasileiras começou a ser instalado em 2013, com prazo de conclusão de 10 anos, mas vem sofrendo com os baixos repasses do Governo.

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado vai agora convidar o atual ministro da Defesa, Aldo Rebelo. Ele deverá falar sobre as diretrizes e os programas prioritários da Pasta após a reforma administrativa.

Postar um comentário