Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Crimeia informa: todos recrutadores do Estado Islâmico fugiram para a Ucrânia

Os radicais envolvidos no recrutamento de muçulmanos da Crimeia para as filas do Estado Islâmico fugiram da península para a Ucrânia, informou nesta segunda-feira o representante do governo da Crimeia Zaur Smirnov.


Sputnik

"Todos que podiam estar potencialmente implicados com o recrutamento abandonaram a Crimeia e não podem retornar de maneira alguma", assegurou Smirnov, que disse ainda ser impossível praticar esse tipo de atividade na Crimeia nos dias de hoje.


Mapa político mostrando Crimeia como parte da Federação Rússa
© Sputnik/ Andrey Iglov

O representante do governo disse ainda que essas pessoas se encontram atualmente em território ucraniano, onde continuam a realizar suas tarefas de propaganda entre os muçulmanos ucranianos.

A Crimeia se converteu em região da Rússia após o referendo de maço de 2014, no qual a grande maioria dos habitantes da península votou a favor da reintegração com Moscou.


Postar um comentário