Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Morte made in Brazil: conflitos no Oriente Médio alavancam exportação de armamento do país

Uma missão árabe chegou ao Brasil interessada na compra de cargueiros KC-390 fabricados pela Embraer. A visita é resultado do esforço do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita, criado no início deste mês, para aproximar os dois países no campo de defesa militar.
Sputnik

O KC-390 vai substituir os Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB), é o maior avião produzido na América e foi concebido como um jato militar de transporte, anunciado pela primeira vez na edição de 2007 da Latin America Aero & Defence (LAAD), no Rio de Janeiro. A produção do avião, com capacidade para 23 toneladas de carga, envolve parcerias com fornecedores de peças de Argentina, Portugal e República Tcheca. Com um custo unitário de US$ 85 milhões, o KC-390, em fase final de testes, tem recebido propostas de compra de vários países.



A compra do cargueiro, porém, é apenas um detalhe na exportação brasileira de armamentos não só para a Arábia Saudita, como também para vários países do Oriente Médio e do Norte d…

Especialista: Irã se torna potência militar mundial (vídeo)

Um curto vídeo recém-publicado na Internet agitou a imaginação de muitos especialmente das chefias militares dos EUA e dos países-membros da OTAN, que não escondem que os sistemas de defesa antimísseis a serem instalados em breve na Europa são o contrapeso a uma possível ameaça iraniana.


Sputnik

No vídeo se podem ver largos túneis subterrâneos, vários complexos de defesa antimísseis e foguetes, prontos a ser colocados em posição de combate, juntamente com as respectivas equipes militares. O general de brigada do Exército de Guardiães da Revolução Islâmica Amir Ali Hajizadeh se mostra claramente satisfeito.




O vídeo mostrou ao mundo o atual potencial militar do Irã.

Mesmo assim, o Irã não planeja realizar uma operação militar ofensiva. O arsenal apresentado visa a proteção da fronteira, sublinhou, comentando o assunto à Sputnik, o cientista político iraniano Reza Moghaddasi:

“A publicação do vídeo e fotos da cidade subterrânea com mísseis do Exército de Guardiães da Revolução Islâmica provocou uma verdadeira onda de choque, mostrando os resultados incríveis do nosso país no setor militar da defesa, porque oficialmente só três países têm estruturas idênticas – Rússia, China e EUA. E agora o Irã tornou-se o quarto país a possuir uma poderosa base de defesa antimíssil. Sublinho – de defesa.”

Reza Moghaddasi opina que agora o mundo vê o Irã como um país autossuficiente e independente, que está se desenvolvendo e pronto para rechaçar qualquer inimigo.

“A liderança iraniana tem afirmado repetidamente que não irá poupar dinheiro a fim de proteger as suas fronteiras. O Irã tem todo o direito de aumentar suas capacidades de defesa face às várias ameaças de potências ocidentais e do regime sionista, bem como para demonstrar o seu poder militar.”

O especialista também fez lembrar sobre o estado do país atual, exaurido por muitos anos de sanções ocidentais:

"Também gostaria de sublinhar que nos últimos anos o Irã esteve sob sanções impiedosas. Mas, mesmo assim, continua o processo de aumento do potencial técnico, militar e de defesa por suas próprias forças e sob a atenção especial dos ‘binóculos’ dos serviços de inteligência de poderosos adversários.”

Lembramos que em 14 de julho do ano em curso, a comunidade internacional celebrou um acordo que libera o programa nuclear iraniano, levantando uma parte considerável das sanções impostas pelo Ocidente a esse país. Já na etapa das negociações finais, a partir de 30 de março, quando o respectivo acordo-quadro foi assinado em Genebra, o Irã tem mostrado sinais de abertura e crescimento econômico.





Postar um comentário