Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

EUA estudam deslocar navios de guerra para o Mar do Sul da China

Os EUA pretendem levar navios de guerra para o Mar do Sul da China. As embarcações seriam estacionadas na zona das doze milhas, não muito longe da Ilhas Spratly, onde Pequim tem reivindicações territoriais, publicou nesta sexta-feira (9) o jornal alemão DWN.


Sputnik

O movimento serviria como um sinal de que os EUA não reconhecem as reivindicações territoriais da China na região. De acordo com a publicação, a atitude norte-americana pode levar a uma escalada de conflitos.


Esta foto de arquivo mostra um dos primeiros navios da Marinha dos EUA equipada com o sistema Aegis
© AFP 2015/ US NAVY PHOTO

As autoridades dos EUA argumentam que as atividades marítimas da China naquelas águas, que têm aumentado ao longo dos últimos anos, estão em contradição com o direito marítimo internacional. Os norte-americanos defendem que os exercícios navais regulares realizados por Pequim acontecem para demonstrar seu poder militar.

Em sua recente viagem a Washington, o presidente do país asiático, Xi Jinping, defendeu que o Mar do Sul da China é território chinês há muitos anos. No entanto, segundo o chefe de Estado, Pequim deseja resolver a situação na região pacificamente.



Postar um comentário