Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

EUA testam sistemas da DAM na Europa, mas contra quem?

A Marinha dos EUA está testando o seu sistema de defesa antimíssil (DAM) durante exercícios na Europa. Mísseis de cruzeiro antinavio disparados da costa escocesa foram atingidos por mísseis-interceptores SM-3.


Sputnik

Os testes foram realizados na terça-feira (20) no âmbito do Programa de Defesa contra Mísseis Balísticos (TBMD, Theater Ballistic Missile Defense System). 


O destróier de mísseis guiados USS Ross (DDG 71)
USS Ross © flickr.com/ CNE CNA C6F

Os interceptores lançados a partir do navio da Marinha norte-americana USS Ross foram guiados com ajuda de rastreamento dos navios dos aliados, em particular, de um navio holandês. Segundo o especialista russo Vladimir Batyuk, chefe do Centro de Estudos sobre EUA e Canadá da Academia Russa de Ciências, os testes realizados mostraram claramente que os sistemas de DAM instalados na Europa não são dirigidos contra a ameaça do Irã.

“Ninguém tinha qualquer dúvida sobre a questão – contra quem realmente foram dirigidos [os testes na Europa]. Moscou compreende claramente que o Irã é só o pretexto e não mais do que isso”.

Segundo o especialista, após usar pela primeira vez o sistema de DAM na Europa, os EUA não dão um sinal a Moscou, porque a intenção de instalar os sistemas fora anunciada ainda em novembro de 2010, no âmbito da cimeira da OTAN em Lisboa. Em outubro de 2011, o secretário-geral da ONU anunciou que os sistemas do chamado Escudo Antimíssil Europeu ficariam em estado operacional até 2018.

Enquanto isso, o arsenal norte-americano já inclui mísseis SM-3, que já foram testados várias vezes.

“Agora os norte-americanos simplesmente têm planos de instalar o sistema de mísseis na base naval espanhola de Rota. Portanto, os testes são realizados para elaborar todos os parâmetros do sistema antimíssil”.

Vale mencionar que o governo da Espanha permitiu, em outubro de 2012, aos EUA enviar à base naval espanhola de Rota quatro navios militares no âmbito do sistema da DAM dos EUA na Europa. Logo após a decisão, os navios de guerra USS Porter, Donald Cook, Ross e Carney chegaram à Espanha.

Os planos norte-americanos de criar o Escudo Antimíssil Europeu é uma das principais divergências nas relações russo-americanas, porque mesmo que os EUA declarem que os seus mísseis não serão usados contra a Rússia (e ultimamente foi declarado que serão usados contra a possível ameaça iraniana), Moscou gostaria de ver tudo registrado num documento oficial, juridicamente formalizado.

Enquanto isso, a OTAN continua insistindo que a Rússia só tem que acreditar na palavra dada.

Os testes recém-realizados provam também que os EUA não deixarão os planos da DAM na Europa, segundo declarou um especialista militar russo, o tenente-general Aleksandr Luzan:

“Os testes atuais são a demonstração do seu poderio”, disse.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas