Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

EUA testam sistemas da DAM na Europa, mas contra quem?

A Marinha dos EUA está testando o seu sistema de defesa antimíssil (DAM) durante exercícios na Europa. Mísseis de cruzeiro antinavio disparados da costa escocesa foram atingidos por mísseis-interceptores SM-3.


Sputnik

Os testes foram realizados na terça-feira (20) no âmbito do Programa de Defesa contra Mísseis Balísticos (TBMD, Theater Ballistic Missile Defense System). 


O destróier de mísseis guiados USS Ross (DDG 71)
USS Ross © flickr.com/ CNE CNA C6F

Os interceptores lançados a partir do navio da Marinha norte-americana USS Ross foram guiados com ajuda de rastreamento dos navios dos aliados, em particular, de um navio holandês. Segundo o especialista russo Vladimir Batyuk, chefe do Centro de Estudos sobre EUA e Canadá da Academia Russa de Ciências, os testes realizados mostraram claramente que os sistemas de DAM instalados na Europa não são dirigidos contra a ameaça do Irã.

“Ninguém tinha qualquer dúvida sobre a questão – contra quem realmente foram dirigidos [os testes na Europa]. Moscou compreende claramente que o Irã é só o pretexto e não mais do que isso”.

Segundo o especialista, após usar pela primeira vez o sistema de DAM na Europa, os EUA não dão um sinal a Moscou, porque a intenção de instalar os sistemas fora anunciada ainda em novembro de 2010, no âmbito da cimeira da OTAN em Lisboa. Em outubro de 2011, o secretário-geral da ONU anunciou que os sistemas do chamado Escudo Antimíssil Europeu ficariam em estado operacional até 2018.

Enquanto isso, o arsenal norte-americano já inclui mísseis SM-3, que já foram testados várias vezes.

“Agora os norte-americanos simplesmente têm planos de instalar o sistema de mísseis na base naval espanhola de Rota. Portanto, os testes são realizados para elaborar todos os parâmetros do sistema antimíssil”.

Vale mencionar que o governo da Espanha permitiu, em outubro de 2012, aos EUA enviar à base naval espanhola de Rota quatro navios militares no âmbito do sistema da DAM dos EUA na Europa. Logo após a decisão, os navios de guerra USS Porter, Donald Cook, Ross e Carney chegaram à Espanha.

Os planos norte-americanos de criar o Escudo Antimíssil Europeu é uma das principais divergências nas relações russo-americanas, porque mesmo que os EUA declarem que os seus mísseis não serão usados contra a Rússia (e ultimamente foi declarado que serão usados contra a possível ameaça iraniana), Moscou gostaria de ver tudo registrado num documento oficial, juridicamente formalizado.

Enquanto isso, a OTAN continua insistindo que a Rússia só tem que acreditar na palavra dada.

Os testes recém-realizados provam também que os EUA não deixarão os planos da DAM na Europa, segundo declarou um especialista militar russo, o tenente-general Aleksandr Luzan:

“Os testes atuais são a demonstração do seu poderio”, disse.



Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas