Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

F-16 da USAF atingido no Afeganistão

Poder Aéreo

Um F-16 dos EUA foi atingido enquanto voava sobre o Afeganistão na última terça-feira (13/10), forçando o piloto a fazer um pouso não programado.


F-16 curva após ataque no Iraque - foto USAF

O Pentágono não divulgou o incidente até que relatos do evento surgiram na mídia.

De acordo com a porta-voz do Pentágono o avião foi atingido por fogo de armas leves, danificando um dos estabilizadores do avião. Isso forçou o piloto a ejetar dois tanques de combustível externos e três peças de munições antes de pousar em segurança.

Um comunicado da OTAN divulgado esta segunda-feira (19/10) informou que o F-16 “foi atingido na província de Paktia, no Afeganistão, e os disparos atingiram um dos estabilizadores da aeronave e danificou uma das armas carregadas pelo caça.”

O piloto, segundo o comunicado, trouxe o avião em segurança de volta à base aérea de Bagram.

“Nossos pilotos rotineiramente enfrentam ameaças a partir do solo, porém eles são bem treinados e preparados para responder a qualquer ameaça ou ataque”, disse a porta-voz.

Ela acrescentou que até que uma investigação sobre o incidente tenha sido concluída, os militares não sabem que tipo de armas foram usadas.

Um funcionário do Pentágono, no entanto, disse que a presunção é que eram armas de pequeno porte, porque se fosse um míssil, o avião provavelmente teria sido derrubado.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas