Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Forças iraquianas avançam com apoio de aviões dos EUA

Iraquianos reconquistaram várias zonas perto de Ramadi.
Cerca 2.000 soldados participaram das ações.


France Presse

Forças iraquianas apoiadas por aviões da coalizão liderada pelos Estados Unidos reconquistaram várias zonas perto de Ramadi, ao norte e a oeste desta cidade no poder dos jihadistas da organização Estado Islâmico (EI) desde maio, indicaram fontes oficiais.



Uma operação na qual participaram 2.000 soldados permitiu reconquistar, entre outras, as zonas de Zankura, Albu Jleib e Al Adnaniyah, indicou um general de brigada.

"As forças de segurança iraquianas também o controle da principal estrada situada a oeste de Ramadi e agora a estão usando para apoiar as forças posicionadas para libertar Ramadi", explicou, por sua parte, à AFP Adhal Fahdawi, um membro do conselho provincial.

"O apoio aéreo da coalizão teve um papel neste progresso", acrescentou.

A perda desta capital provincial foi um revés importante para as forças armadas iraquianas desde que o EI conquistou extensas zonas do Iraque graças a uma ofensiva lançada em junho de 2014.

Desde então, com a ajuda de uma coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, que bombardeia posição jihadistas no Iraque, os militares conseguiram recuperar terreno.

Mas a maioria da província de Al Anbar, fronteira com a Síria, onde o EI está presente, continua na mão dos insurgentes.

Postar um comentário