Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Irã não confirma queda de mísseis russos em seu território

O Irã afirmou que ainda não tem informações sobre a queda de mísseis russos em seu território. A informação foi divulgada por uma fonte do Ministério da Defesa iraniano, citada pela agência Sputnik.


Sputnik

Segundo o Ministério da Defesa do Irã, os relatórios da mídia ocidental sobre a queda de mísseis russos no território iraniano representam a ativação de uma guerra psicológica.


Torre Milad em Teerã
Torre Milad, em Teerã © Sputnik/ Vladimir Fedorenko

A rede CNN divulgou nesta quinta-feira (8) que quatro mísseis de cruzeiro lançados na quarta-feira pela Rússia em direção à Síria atingiram o Irã, citando um funcionário do governo norte-americano.

Não é a primeira vez que fontes anônimas norte-americanas informam sobre detalhes da operação da Rússia contra o Estado Islâmico na Síria. Em seguida, após as declarações serem veiculadas por grandes meios de comunicação ocidentais, as autoridades dos EUA não são capazes de confirmar tais informações.

O representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, por sua vez, declarou que Moscou não comenta fatos usando fontes anônimas, mas mostra imagens do lançamento dos mísseis e dos alvos afetados.

A Rússia realiza desde a semana passada uma ofensiva com ataques aéreos contra posições do grupo terrorista Estado Islâmico na Síria.


Postar um comentário