Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Jato russo invade espaço aéreo turco por acidente e americanos fazem ameaças

O Ministério da Defesa da Rússia informou nesta segunda-feira que um de seus caças Sukhoi Su-30 entrou acidentalmente no espaço aéreo da Turquia no último sábado, na fronteira com a Síria, durante operações de ataque contra os jihadistas do Estado Islâmico.


Sputnik

O incidente, que durou apenas alguns segundos, não chegou a gerar mal-estar entre Moscou e Ancara. As duas partes discutiram o assunto e a Rússia apresentou garantias de que tal evento não se repetirá. Mas, em conversa com jornalistas da agência Reuters, um funcionário do governo norte-americano, que não quis ser identificado, disse não acreditar que a invasão tenha sido acidental e afirmou que os Estados Unidos "estão profundamente preocupados" com o episódio, que será objeto de discussão com outros parceiros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). 


Sukhoi Su-30

"Eu não acredito que tenha sido acidente", disse a fonte durante uma entrevista realizada em Madrid, na Espanha, descrevendo o evento como "uma violação da soberania de um membro da OTAN" e pedindo à Rússia que se comporte de maneira "segura e responsável".

O incidente do último sábado ocorreu na província turca de Hatay, a aproximadamente 50 km de Latakia, distrito sírio que abriga a base onde estão localizados os aviões russos. Por meio de nota oficial, o Departamento de Estado dos EUA disse que a invasão russa foi imprudente e provocativa. Apesar da agitação norte-americana, o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, disse que o seu governo entrou em contato com o Kremlin, pelas devidas vias diplomáticas, e ficou satisfeito com as explicações russas sobre o mal-entendido e com as promessas de que a Rússia seguirá respeitando as fronteiras da Turquia.



Postar um comentário