Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Jogos Militares: Brasil conquista ouro no futebol feminino

Correio do Brasil, com ABr – de Seul:

Com um gol no último minuto da prorrogação, o Brasil venceu a França por 2 a 1 e conquistou neste sábado, penúltimo dia dos 6º Jogos Mundiais Militares, disputados na Coreia do Sul, o bicampeonato de futebol feminino. O gol decisivo foi marcado pela atacante Bárbara Chagas, no último lance da partida.


Brasil ganha medalha de ouro na final do futebol feminino contra a França

O jogo começou com o time brasileiro partindo para o ataque e com maior domínio de bola. Mas, em uma bobeada da defesa, a seleção francesa abriu o placar com Lea Garrec. O empate veio ainda no primeiro tempo com a atacante Daniele Batista.

Na etapa complementar, o jogo seguiu equilibrado, com poucas chances de gols.

A partida continuou equilibrada na prorrogação até que, no lance final, a atacante Bárbara acertou um chute forte, definindo o placar e a vitória brasileira. “Estou muito emocionada. Nosso grupo estava muito unido desde a saída do Brasil. Viemos com a meta de ser campeãs,” disse Bárbara Chagas após o jogo.

Outras modalidades

As provas de atletismo foram realizadas no Kafac Sports Complex, em Mungyeong e a equipe do revezamento feminino 4X100 levou o ouro. O sargento do Exército Aldemir Gomes ficou com o terceiro lugar nos 200m individual masculino e a sargento Rosângela Santos, além do ouro no revezamento, ganhou medalha de bronze nos 200m feminino. Na última quarta-feira, Rosângela já havia conquistado o ouro nos 100m.

– Este é o meu primeiro mundial como militar e conquistei três medalhas. Mesmo sendo uma competição fora de época, nunca deixei de treinar e me dedicar. Estou fechando essa temporada muito feliz – comemora a atleta.

Os atletas do taekwondo conseguiram três medalhas nos tatames do complexo esportivo Kafac: duas de ouro e uma de prata. A sargento do Exército Iris Silva Tang Sing, ficou em primeiro lugar na categoria menos de 46 kg. Ela derrotou a iraniana Nahid Kiyanichandeh e conseguiu somar mais 20 pontos rumo à classificação para os Jogos Olímpicos.

No masculino, categoria até 54kg, o sargento da Marinha Venilton Torres Teixeira bateu o iraniano Mahdi Eshaghi, em uma luta de recuperação e também levou ouro. Na terceira decisão, o sargento da Marinha Guilherme Dias Alves não conseguiu superar o iraniano Abolfazl Yaghoubijoubai e ficou em 2º lugar, na categoria até 63 kg.

Já no ciclismo, as atletas brasileiras tiveram muito que comemorar: além do ouro por equipes, o Brasil também conquistou, na prova de resistência, as medalhas de prata e bronze, no individual, com a dobradinha das irmãs Clemilda e Janilde Fernandes. A vencedora da prova foi a russa Natália Boyarskaya.

Nos Jogos Mundias Militares realizados no Rio de Janeiro, em 2011, o Brasil ficou em primeiro lugar no quadro de medalhas. Para a edição coreana, o objetivo é ficar entre os cinco primeiros países.



Postar um comentário