Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Kremlin garante a segurança de seus pilotos na Síria

Moscou tomará todas as medidas necessárias para a segurança dos pilotos militares russos na Síria, assegurou nesta quinta-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.


Sputnik

“Serão tomadas todas as medidas que precisamos tomar para garantir a segurança de nossos militares”, disse Peskov aos jornalistas. 


Pilotos russos em Hmeymim, na Síria
© Sputnik/ Dmitry Vinogradov

Anteriormente, o parlamentar ucraniano Anton Geraschenko, assessor do ministro do Interior, pediu a revelação de informações sobre os militares russos que combatem o chamado Estado Islâmico na Síria para que os terroristas possam encontrá-los.

O Comitê de Investigação da Rússia iniciou uma ação penal contra Geraschenko por “convocação pública ao terrorismo” e “justificativas públicas de terrorismo”.

Peskov classificou as declarações do deputado ucraniano de “postura hostil” em relação à Rússia e afirmou que os serviços especiais russos “talvez observem atentamente” esta situação.

Caças russos Sukhoi Su-25, Su-24M e Su-34, com o apoio de aviões Su-30, começaram ataques precisos contra alvos do Estado Islâmico na Síria no dia 30 de setembro, após um pedido do presidente do país, Bashar Assad.



Postar um comentário