Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

‘Magrinhos’ estão temporariamente proibidos de voar o F-35

Poder Aéreo

A possibilidade de lesões em pilotos de F-35 que eventualmente tenham que se ejetar em baixa velocidade levaram as Forças Armadas dos EUA a restringir temporariamente o uso dos aviões por tripulantes com menos de 136 libras (cerca de 62 quilos) de peso.


martinbaker ejectorseat F-35

Durante os testes do assento ejetável em agosto passado foram descobertos riscos consideráveis de lesão no pescoço caso um piloto de pouco peso tenha que se ejetar em velocidades mais lentas. Até que o problema seja corrigido os militares decidiram restringir o voo de pilotos com peso inferior a 136 libras de operar o avião, informou o general Jeffrey Harrigian, diretor do escritório de integração ao Defense News em uma entrevista na terça-feira.

A questão do assento ejetor não está relacionada com o novo capacete Geração 3, construído pela Rockwell Collins e entregue ao JPO em agosto, disse DellaVedova.

A preocupação da equipe está vinculada ao momento da abertura do paraquedas caso o piloto não esteje na posição corporal ideal, disse ele. “Tudo está relacionado com o fato do centro de gravidade estar dentro da janela, como costumamos dizer, no momento da separação piloto-assento”.

Canterbury sublinhou que a restrição de peso é uma correção temporária, eo JPO está a trabalhar estreitamente com o construtor de aeronaves Lockheed Martin e Martin-Baker em uma solução permanente.

Atualmente a restrição afeta apenas um único piloto. No entanto, esta restrição não está relacionada com a tenente coronel Christina Mau, atualmente a única piloto feminina da aeronave.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas