Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Mísseis iranianos não são alternativa aos russos S-300

Os sistemas de defesa antimíssil do Irã não devem ser considerados como alternativa aos russos S-300, declarou um especialista russo em entrevista à Sputnik.


Sputnik

Na parada do Dia do Exército, realizada em Abril, o Irã apresentou o fruto do trabalho de especialistas iranianos – o sistema de mísseis antiaéreo Bavar 373. No domingo (18) foi anunciado o prazo de produção industrial deste sistema. Segundo o comandante da base de defesa antiaérea Khatam-al Anbiya Farzad Esmaili, o Irã planeja instalar os Bavar 373 no seu território no início do ano 2017.


Sistema da DAM iraniana Bavar 373
Bavar 373 © AFP 2015/ BEHROUZ MEHRI

“Planejamos realizar testes dos sistemas Bavar 373 até o final do ano (segundo o calendário iraniano, quer dizer até 22 de março de 2017 – ed.)”, disse.

O redator-chefe da revista Iran Press Emad Abshenass comentou a informação recém-divulgada à Sputnik e disse que, mesmo assim, o país não tem planos de parar os fornecimentos dos mísseis russos S-300:

“A criação do sistema de mísseis iraniano Bavar 373 não contradiz o nosso interesse na compra dos complexos russos S-300. Segundo o contrato com a Rússia, o entendimento sobre o fornecimento dos S-300 é válido por cerca de cinco anos. Mas, tendo em conta as sanções contra o Irã introduzidas pelo Conselho de Segurança da ONU, os complexos de mísseis nunca foram fornecidos a Teerã na sua totalidade.”

O especialista argumentou a sua opinião pela intenção de aumentar o poder militar do Irã em geral:

“Globalmente, os sistemas de mísseis iranianos, criados com base nos S-300, bem como os mísseis russos de nova geração que o Irã comprará a Moscou, são elementos de um único programa – a criação de sistema poderoso de defesa antimíssil no Irã.”

Farzad Esmaili sublinhou que o seu país tem planos de continuar a cooperação técnico-militar com a Rússia na área militar e pode comprar vários tipos de armamentos russos, inclusive aviões militares.

O especialista iraniano comentou o vídeo que foi publicado recentemente pelo lado iraniano e que mostra o atual potencial militar do Irã:

“Gostaria de mencionar os testes do míssil balístico Imad, cuja informação foi tornada pública vários dias antes do aparecimento do vídeo da base subterrânea. As nossas autoridades comentaram que o Irã não aceita quaisquer resoluções que, de alguma forma, venham a limitar o direito ao desenvolvimento militar e de defesa do país.”

A Sputnik já tinha divulgado a opinião do cientista político iraniano Reza Moghaddasi, segundo o qual o vídeo fez com que, a partir de agora, o mundo veja o Irã como um país autossuficiente e independente, capaz de se defender de qualquer inimigo.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas