Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Moscou confirma visita de representantes do Exército Livre da Síria à Rússia

O porta-voz oficial do ministério russo das Relações Exteriores, Mikhail Bogdanov, confirmou nesta segunda-feira, 26, informações de que representantes do Exército Livre da Síria (ELS) estiveram em Moscou para negociar a recente proposta de apoio por parte da Rússia.


Sputnik

"Eles estão sempre aqui. Alguns chegam, outros partem" – disse o diplomata.


Combatentes rebeldes de o primeiro regimento, que faz parte do Exército Livre da Síria, participam de um treinamento militar no campo ocidental de Aleppo 4 de maio de 2015
Combatentes do Exército Livre da Síria © REUTERS/ Hosam Katan

Respondendo à pergunta de se os representantes do ELS estiveram na Rússia na semana passada, Bognanov disse que "estiveram, inclusive, várias pessoas".

No último domingo (26) o chanceler russo Sergei Lavrov reafirmou a prontidão da Rússia em prestar apoio aéreo a grupos da “oposição patriótica, incluindo o ELS”. O único obstáculo, segundo o chanceler, é a falta de informações sobre a localização precisa dos rebeldes filiados ao grupo. Moscou não dispõe dessa informação, embora a tenha pedido repetidamente a países familiarizados com o ELS, incluindo os Estados Unidos e a Grã-Bretanha.

O próprio ELS, no entanto, não possui um consenso interno quanto à necessidade de aceitar a proposta da Rússia, e vários representantes do grupo já deram declarações contraditórias nesse sentido.

Além disso, em resposta à proposta russa, líderes rebeldes de grupos filiados ao ELS deram a entender que o ELS não passa de uma pequena e descentralizada organização sem uma liderança unificada e sem presença significativa em território do conflito sírio.


Postar um comentário