Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

National Interest sobre caça russo Su-34: máquina de destruição com asas

A Rússia vem empregando seus modernos caças Su-34 para atacar posições terroristas na Síria. Observador da revista The National Interest, Dave Majumdar, avaliou as características técnicas dessa avançada aeronave e encontrou nela algumas vantagens com relação ao seu mais próximo análogo norte-americano Boeing F-15.


Sputnik

O autor do artigo lembra que o Su-34 foi criado durante a última década do governo soviético, sendo uma versão modernizada do caça Su-27, e hoje é o “mais avançado caça-bombardeiro russo”.




“Su-34 foi desenvolvido principalmente como um substituto para o desatualizado Su-24. Assim como o Su-24, os assentos do Su-34 estão dispostos lado a lado. Diferente do Su-24, o Su-34 é equipado com um sistema de autodefesa “ar-ar”” – diz o artigo.

O observador acredita que uma das principais vantagens do caça russo é a sua capacidade de portar mísseis tipo “ar-ar”.

“Além dos mísseis de curto alcance R-73 para combate aéreo próximo (…), o Su-34 é equipado com mísseis guiados “ar-ar” de longo alcance P-77 com um raio de ação de 700 milhas [cerca de 1130 metros]” – diz o autor.

Majumdar conta que os sistemas de localização do caça permitem detectar ameaças vindas por trás da aeronave e notificá-las à tripulação. Outra grande vantagem, segundo ele, é que o Su-34 é dotado de um sistema eletro-óptico de controle de fogo.

O autor do artigo destacou ainda a preocupação dos engenheiros russos em garantir um conforto nada característico nesse tipo de aeronave para a tripulação.

“Na cabine, atrás do assentos dos pilotos, está previsto um espaço que permite aos membros da tripulação levantar-se e até se alongar” – diz.

“A possibilidade de usar o Su-34 e outros aviões dá à Rússia a chance de testar seus mais novos armamentos em condições práticas de guerra” – conclui o observador.


Postar um comentário