Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

ONG: EUA mobiliza terroristas no sul da Síria para atacar Ghouta Oriental

Os militares norte-americanos estão mobilizando combatentes de diversos grupos armados com objetivo de atacar os subúrbios orientais de Damasco, disse à Sputnik o chefe da rede de direitos humanos na Síria, Ahmad Kazem.
Sputnik

"Neste momento os EUA estão juntando os combatentes do Daesh e outros grupos, inclusive os de Idlib, e tenta os transferir para At-Tanf e depois para Ghouta Oriental (subúrbio de Damasco), com objetivo de se contrapor ao exército sírio, que pretende liberar a região dos terroristas", disse Kazem. 


Segundo o defensor dos direitos humanos, os financiadores da Arábia Saudita ordenaram que os terroristas já localizados em Guta Oriental empreendam o máximo dos esforços para resistir às tropas de Damasco.

"Eles continuarão a atacar Damasco de forma caótica com seus morteiros", acrescentou o entrevistado.

Os terroristas, que tomaram o subúrbio oriental de Damasco, continuam a disparar contra os bairros centrais e residenciais da capital síria. Nesta qui…

ONU suspende atividades humanitárias na Síria

A Organização das Nações Unidas (ONU) suspendeu seu trabalho humanitário na Síria por causa da atividade militar em determinadas áreas, informou nesta sexta-feira o enviado especial da ONU para o país, Staffan de Mistura.


Sputnik

A suspensão envolve atividades humanitárias nas cidades de Zabadani e Madaya, perto da fronteira com o Líbano, e nas vilas de Fua e Kafraya, no noroeste do país.




"A ONU pede que todas partes interessadas cumpram com suas responsabilidades na proteção de civis e cheguem aos entendimentos necessários para implementar um acordo o mais rápido possível", diz um comunicado distribuído nesta sexta.

Anteriormente, estavam em vigor várias tréguas nas quatro cidades, o que permitia a distribuição de ajuda humanitária à população local.

A coalizão internacional, encabeçada pelos Estados Unidos, realiza ataques aéreos na Síria desde 2014, mas sem a permissão do governo do país nem aval do Conselho de Segurança da ONU.

Desde 2011, a Síria é cenário de um conflito interno que já deixou cerca de 220 mil mortos, segundo os dados mais recentes da ONU.


Postar um comentário