Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel prende o governador palestino de Jerusalém

Motivo da detenção foram crimes cometidos na Cisjordânia ocupada, segundo a Organização para a Libertação da Palestina.
France Presse

Israel prendeu o governador palestino de Jerusalém por crimes que teria cometido na Cisjordânia ocupada, que não foram especificados, informou a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

O governador Adnan Gheith foi detido no sábado (20) à noite no bairro palestino de Beit Hanina, em Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel. Será apresentado a um tribunal dentro de quatro dias, afirma a OLP em um comunicado.

Para o dirigente da OLP Saeb Erakat, a detenção é "um novo passo contra a presença palestina em Jerusalém" e constitui uma violação da legislação israelense a respeito das instituições palestinas da cidade.

"As ameaças contra dirigentes palestinos, sua detenção, inclusive o 'sequestro' do governador Gheith, são parte de um plano que pretende sufocar todas as bases de uma solução política com dois Estados e com as f…

ONU suspende atividades humanitárias na Síria

A Organização das Nações Unidas (ONU) suspendeu seu trabalho humanitário na Síria por causa da atividade militar em determinadas áreas, informou nesta sexta-feira o enviado especial da ONU para o país, Staffan de Mistura.


Sputnik

A suspensão envolve atividades humanitárias nas cidades de Zabadani e Madaya, perto da fronteira com o Líbano, e nas vilas de Fua e Kafraya, no noroeste do país.




"A ONU pede que todas partes interessadas cumpram com suas responsabilidades na proteção de civis e cheguem aos entendimentos necessários para implementar um acordo o mais rápido possível", diz um comunicado distribuído nesta sexta.

Anteriormente, estavam em vigor várias tréguas nas quatro cidades, o que permitia a distribuição de ajuda humanitária à população local.

A coalizão internacional, encabeçada pelos Estados Unidos, realiza ataques aéreos na Síria desde 2014, mas sem a permissão do governo do país nem aval do Conselho de Segurança da ONU.

Desde 2011, a Síria é cenário de um conflito interno que já deixou cerca de 220 mil mortos, segundo os dados mais recentes da ONU.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas