Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

OTAN: ataques russos na Síria mataram civis e não alvejaram Estado Islâmico

A OTAN declarou, nesta segunda-feira, sua preocupação com os ataques aéreos russos na Síria. Segundo a Organização, os bombardeios provocaram mortes de civis e não tinham o Estado Islâmico como alvo.


Sputnik

"Aliados expressaram grande preocupação em relação à escalada militar russa na Síria, especialmente aos ataques realizados pela Força Aérea Russa em Hama, Homs e Idlib, que provocaram mortes de civis e não tinham como alvo o Daesh (Estado Islâmico)", diz um comunicado distribuído pela OTAN.


Militares ao lado do caça Su-25
© Sputnik/ Igor Russak

Caças Su-25, Su-24M e Su-34 russos vêm executando bombardeios precisos contra alvos do Estado Islâmico na Síria desde o dia 30 de setembro, após um pedido do presidente sírio, Bashar Assad.

De acordo com o Ministério da Defesa russo, as aeronaves do país possuem equipamento que permite aos pilotos conduzir ataques "absolutamente precisos" contra o Estado Islâmico na Síria.

Anteriormente, em outubro, o embaixador da Síria para a Rússia, Riad Haddad, confirmou que ataques do exército sírio, apoiados pela Força Aérea Russa, foram executados contra organizações terroristas e não contra grupos de oposição política ou civis.


Postar um comentário