Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Por que razão EUA não bombardeiam depósitos de petróleo do Estado Islâmico?

Em entrevista à Sputnik, o conhecido jornalista turco Alptekin Dursunoglu expressou surpresa sobre a relutância da coalizão liderada pelos EUA em bombardear depósitos de petróleo controlados pelo Estado Islâmico (EI) na Síria, que, segundo ele, são uma das principais fontes de renda do grupo jihadista.


Sputnik

O jornalista se refere ao contrabando de petróleo do Estado Islâmico para a Turquia através de um oleoduto ilegal, cuja existência ainda não foi confirmada.


Militantes do Estado Islâmico em Fallujah, no Iraque
© AP Photo/ File

Ao mesmo tempo, ele chamou a atenção para o fato de que a campanha aérea liderada pelos EUA nunca teve como alvo os depósitos de petróleo controlados pelo EI na Síria.

"Este fato [me] faz realmente admirar, uma vez que uma das etapas do plano de Obama para combater o EI era a destruição das fontes de renda do Estado Islâmico", disse Dursunoglu.

Dursunoglu pergunta por que razão os drones americanos não conseguiram ainda detetar uma estrutura de tão grande escala.

Ele também disse que o fornecimento de petróleo não é a única fonte de renda do EI, que, como ele fez lembrar, fazia parte da al-Qaeda em 2012.

"Esta organização unificada evitou deliberadamente ser chamada de al-Qaeda. O Estado Islâmico ficou com uma parte considerável do dinheiro que foi entregue pelos países do golfo Pérsico e Turquia sob o pretexto de ajudar a oposição síria", disse Dursunoglu.

Ele citou trabalhadores humanitários locais que tinha dito, em 2012, que o dinheiro foi enviado em "bolsas, malas e sacos."

Dursunoglu acrescentou que, além do comércio de petróleo ilegal e extorsão, outras fontes de financiamento do Estado Islâmico são o contrabando de antiguidades e artefatos históricos, bem como o tráfico de pessoas e de órgãos humanos.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas