Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Poroshenko: operação da Rússia na Síria nos aproxima da terceira guerra mundial

O presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, chamou à operação da aviação russa na Síria contra o grupo terrorista Estado Islâmico de "completamente irresponsável".


Sputnik

A respectiva declaração foi feita pelo presidente da Ucrânia durante o discurso perante estudantes do Instituto Militar Taras Shevchenko de Kiev,na quarta-feira (7).


Presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko
Piotr Poroshenko © AFP 2015/ ODD ANDERSEN

"Temos que compreender o que significa para cada um de nós a agressão da Federação da Rússia na Síria, mesmo que pareça tão distante. E como estes passos, completamente irresponsáveis, nos aproximaram da terceira guerra mundial", disse.


Em 30 de setembro a Rússia iniciou sua ofensiva aérea contra as posições do grupo terrorista Estado Islâmico na Síria em resposta a um pedido oficial de ajuda militar apresentado por Damasco. Segundo os dados do Ministério da Defesa russo, os ataques lançados pelos caças Su-34, Su-24M e Su-25 já destruíram uma série de infraestruturas do Estado Islâmico e danificaram significativamente a rede de comando e apoio logístico dos militantes. Os alvos dos ataques são escolhidos com base nos dados de reconhecimento russo e sírio.

O embaixador sírio na Rússia, Riad Haddad, confirmou que foram realizados ataques aéreos do exército sírio, apoiados pelas forças aeroespaciais russas, contra organizações terroristas armadas, e não contra fações da oposição política ou civis.


Postar um comentário