Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Presidente bielorrusso quer falar da base aérea russa com Vladimir Putin

Presidente bielorrusso Aleksandr Lukashenko pretende discutir a instalação da nova base aérea na Bielorrússia com Vladimir Putin.


Sputnik

“Vamos discutir o assunto com o presidente russo”, disse Aleksandr Lukashenko respondendo à pergunta sobre a base aérea. 


Aleksandr Lukashenko e Vladimir Putin
Aleksandr Lukashenko e Vladimir Putin © Sputnik

No início de setembro o governo russo aprovou o acordo sobre a base aérea no país vizinho. O acordo visa contribuir para a segurança das fronteiras externas da União da Rússia e Bielorrússia e a criação do sistema unido regional de defesa aérea dos dois países.

Na altura, o primeiro-ministro Dmitry Medvedev disse que a Rússia estava pronta para estabelecer bases aéreas no território de todos os seus aliados no quadro da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC).

A OTSC é uma aliança militar formada em 1992, atualmente com seis membros: Rússia, Tajiquistão, Cazaquistão, Quirguistão, Armênia e Bielorrússia, bem como dois países observadores – o Afeganistão e a Sérvia.

A Rússia tem presentemente bases aéreas no Quirguistão e na Arménia. Está planejando estabelecer no próximo ano uma terceira base aérea para aviões de combate no leste de Bielorrússia.

Além disso, o presidente Lukashenko destacou que, em caso da sua reeleição, a Bielorrússia será um “amigo e irmão da Rússia”.

“Não só vamos continuar sendo um país amigável, como também um país fraternal e mais próximo. Não podem duvidar nisso, o digo especialmente em frente dos jornalistas ocidentais”, afirmou Lukashenko na coletiva de imprensa em Minsk.

Hoje no país se realizam eleições presidenciais, que têm tido grande comparecimento dos eleitores às urnas.


Postar um comentário