Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Putin discute crise síria com rei da Arábia Saudita

O presidente da Rússia Vladimir Putin conversou nesta segunda-feira, 26, por telefone, com o rei saudita Salman, para discutir a regulação da crise na Síria, dando continuidade ao recente encontro entre os ministros das Relações Exteriores da Rússia, Turquia, Arábia Saudita e o secretário de Estado dos EUA.


Sputnik

"Foi dada continuidade à troca de opiniões sobre uma série de questões relativas à regulação da crise síria, inclusive levando em contra a reunião quadripartida com a participação dos chefes das chancelarias da Rússia, Arábia Saudita, EUA e Turquia, bem como os futuros contatos em diversos níveis e formatos" – diz um comunicado publicado esta segunda-feira, 26 no site do Kremlin.


Vladimir Putin e Mohammad bin Salman
Mohammad bin Salman e Vladimir Putin © Sputnik/ Aleksey Nikolskyi

Segundo informou o ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, o encontro com seus colegas de pasta, realizado em 23 de outubro, em Viena, terminou com o entendimento comum de que o "grupo de apoio" na solução da crise síria precisa ser expandido. Nas suas palavras, o grupo deve incluir representantes de todos os membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU. Ele destacou que o formato também poderia incluir a Liga Árabe e Organização de Cooperação Islâmica.

O serviço de imprensa do Kremlin também informou que durante a conversa telefônica entre os líderes da Rússia e da Arábia Saudita "foi discutida a situação em torno regulação do Oriente Médio… ambas as partes manifestaram preocupação com a degradação da situação em Israel e na Palestina".

"O rei saudita elogiou o papel tradicionalmente ativo da Rússia na promoção do processo de paz" – disse Kremlin.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas