Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Rússia e EUA conversam sobre cooperação em resgate de pilotos na Síria

Rússia e Estados Unidos estão preparador para cooperar na busca e no resgate de pilotos na Síria, informou nesta terça-feira à Sputnik a porta-voz do Departamento de Defesa americano, tenente-coronel Michelle Baldanza.


Sputnik

Mais cedo, também nesta terça, Washington e Moscou assinaram um memorando de entendimento sobre os procedimentos de segurança durante suas operações na Síria.


Um Su-34 pousa no aeroporto Hmeimim, na Síria
Sukhoi Su-34 © Sputnik/ Dmitry Vinogradov

"No caso de um piloto derrubado ou de uma aeronave em perigo, ambos lados entrarão em contato com o outro pelo canal recém-estabelecido. Outras ações serão determinadas no momento do incidente", explicou Baldanza, afirmando que nenhum outro acordo foi feito sobre o assunto.

O Ministério da Defesa da Rússia informou nesta terça que Moscou vê uma necessidade de estabelecer cooperação operacional com os Estados Unidos no que diz respeito ao resgate de pilotos na Síria.

O memorando de entendimento tem como objetivo evitar incidentes aéreos entre aeronaves russas e americanas, inclusive drones, operando no espaço aéreo sírio.

A Rússia vem lançando ataques aéreos precisos contra posições do Estado Islâmico na Síria desde o dia 30 de setembro a pedido do Presidente Bashar Assad. Uma coalizão liderada pelos EUA e cerca de 60 países vem bombardeando alvos do Estado Islâmico há mais de um ano sem o apoio da ONU ou do governo sírio.



Postar um comentário