Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Rússia envia 20 toneladas de ajuda humanitária a Síria

Alimentos e itens de primeira necessidade foram entregues em Latakia. Avião de carga também resgatou mais de 80 estrangeiros no país.


ITAR-TASS

Na sexta-feira passada (16), a aeronave russa Ilyushin IL-76 aterrissou no aeroporto de Latakia, na Síria, portando 20 toneladas de ajuda humanitária aos locais.


Avião soviético da década de 1960 foi responsável pelo transporte de ajuda à Síria Foto:Andrêi Stenin/RIA Nôvosti

“O avião do Ministério para Situações de Emergência entregou mais de 20 toneladas de ajuda humanitária para a população síria: carne e peixe enlatados, leite, açúcar, cobertores e itens de primeira necessidade”, informou a assessoria da pasta.

O avião também buscou mais de 80 cidadãos da Rússia, da Comunidade do Estados Independentes (ex-repúblicas soviéticas) e de outros localidades que desejavam deixar a Síria devido às hostilidades.

A ajuda prestada à Síria havia sido instruída pelo governo em meio às ações no país.

Nesta segunda-feira (19), o porta-voz do Ministério da Defesa, Igor Konachenkov, anunciou que os disparos efetuados pela Rússia na últimas 24 horas atingiram 49 bases do Estado Islâmico (IS) nas cidades de Aleppo, Damasco, Idlib, Latakia e Hama.



Postar um comentário